Viajar sozinha incomoda muita gente… Viajar sozinha e ser feliz incomoda muito mais

Quantas vezes você já viajou sozinha? Quantas vezes você viajou – ou sonhou em viajar – para  lugares exóticos by yourself? Quantas vezes as pessoas ficaram assustadas com a sua “ousadia” quando você falou sobre isso?

Viver em sociedade, para alguns, significa ter que estar o tempo inteiro com alguém. Como se a gente tivesse que levar o “é impossível ser feliz sozinho” tão a sério a ponto de quase levar alguém sempre que for ao banheiro. Exageros à parte, ainda tem muita gente que torce o nariz para as mochileiras que desbravam esse mundão sozinhas. Camuflam uma falta de iniciativa própria com perguntas como:

“Quem vai fotografar a trip?”, “Como você vai se divertir sozinha?”, “Não conhece ninguém, vai fazer o que lá?”, “E a violência?”

via: Pixabay

 

Para, né?

Foto: Facilmente resolvido com tripé ou pedindo para alguém que estiver por perto para tirar a foto ou encaixar a câmera/celular em algum lugar e usar o modo time.

Diversão sozinha: Se eu vou, tenho um propósito a cumprir lá que vai me satisfazer. No mais, quem chega sozinho não necessariamente fica sozinho. Essa é até mais uma vantagem de viajar sozinha. Você se sente mais livre pra se conectar com as pessoas que estão ao seu redor.

Violência: Infelizmente, isso tem em todo lugar, é só saber como, onde e com quem andar que as chances de você sofrer algo diminuem muito.

(Via: Giphy)

Amor próprio é tudo

A gente precisa estar bem na “solidão” e se divertir com as próprias loucuras. Quando a gente alcança esse nível de amor próprio e felicidade consigo mesmo, fica mais fácil ser uma boa companhia e lidar com as dificuldades de viagens acompanhado. Dificuldades? Sim! Dificuldades. Sozinha eu sei que tudo está nas minhas mãos, desde seguir o roteiro que levei meses planejando, passando por levar o dia inteiro fotografando a cada passo que eu der sem que alguém fique me apressando, até me deixar surpreender com tudo que aparecer sem precisar ponderar vontades.

No mundo, em qualquer tema, não existe verdade absoluta. A gente só precisa entender que, da mesma forma que há as que não abrem mão de uma parceria, há as que preferem compor seu diário de viagem sozinha. Há ainda quem goste de equilibrar. Ora road trip pela Europa com a família, ora safári africano com os amigos, ora imersão no budismo na Tailândia pra buscar se conhecer melhor.

Enfim, tem sempre alguma coisa em alguém que pode te levar pra frente. A gente sempre pode aprender algo novo. Então, será que não tá na hora de vencer a bolha e se inspirar nas meninas-mulheres-garotas que botam o pé na estrada na companhia única e exclusiva da mochila?

Gessica Souza

Nascida no interior do Rio de Janeiro, engenheira, 26 anos, apaixonada por desbravar cada cantinho desse mundo. Tô aqui pra compartilhar minha grande paixão que é registrar momentos de descoberta em letra e luz! Precisando de informações adicionais é só entrar em contato!