Mundo

Vale Sagrado dos Incas: as maravilhas do Peru!

Hoje vamos conhecer as principais ruínas ao redor de Cusco, no Vale Sagrado dos Incas! Prepare os sentimentos para Ollantaytambo, Sacsayhuaman, Pisac, Quenko, Salinas de Mara, Moray e outros “ lugarzitos más”! Você vai perceber que esse país imenso em extensão, tem muito mais a ser explorado que Macchu Pichu e o Lago Titicaca! Vem comigo, ter aquela overdose cultural e explorar as ruínas desse lugar!  E tudo isso pertinho de Cusco!

Pisac, Vale Sagrado Inca.                                   

Apesar da altitude, quase todos os passeios ficam a um nível mais baixo que a capital peruana. Mesmo assim, os pulmões devem estar preparados! Vamos sentir muita falta de ar!

CONTRATANDO OS TOURS:

Quanto às preocupações de contratar um tour, as mais comuns são: devo contratar antes ou contrato na hora? Contrato um táxi? Muitas pessoas encontraram dificuldade em fazer o pagamento  antecipado, já que as cias turísticas não trabalham com cartão em sua maioria. O pagamento é em moeda estrangeira   por ordem de pagamento do exterior e o valor vem em Soles.

DICA: Para contratar antes, acaba sendo muito mais caro! Sério! (Inclua as taxas de envio da ordem). Assim como fazê-los de táxi, com o day tour (a não ser que você opte por não fazer todos os passeios). Em Cusco, principalmente ao redor da Plaza de Armas (o ponto turístico mais conhecido da cidade) há INÚMERAS casas que trabalham com a venda de pacotes de visita.

DICA: Eu contratei no hotel, pela segurança mesmo (li sobre os golpes comuns e preferi não arriscar). Paguei R$ 340,00 por dois dias completos de passeio, começando as 9:00 h e terminado por volta das 18:00 h. As entradas nos sítios arqueológicos vêm inclusas.

OBS: Macchu Pichu é um caso a parte, se você for em alta temporada corre o risco de não encontrar os ingressos disponíveis. As visitas são em números controlados de visitantes. Eu fui em baixa temporada (Maio) e contratei lá mesmo, sem problemas.

VALE SAGRADO DOS INCAS

O Vale Sagrado dos Incas é a região mais rica em produção de grãos do Peru, fica na região andina e ganhou esse nome pela produtividade das terras e pelas diversas construções incas no vale, erguidas em tributo aos deuses de sua religião.

Vale do Urubamba. Rico em produção de milho.

Vamos a composição dos sítios arqueológicos:

  • Pisac
  • Ollantaytambo
  • Sacsayhuaman
  • Quenko
  • Tambomachay
  • Maras
  • Chichero
  • Urubamba

Partiu conhecê-los!

DIA 01 –  de Cusco a Ollantaytambo

1) Ccorao: 

 A primeira parada para quem vai ao Vale Sagrado dos Incas é Ccorao. Uma vila pequenininha que vende basicamente artesanato. Os preços são um pouco mais salgados que em Cusco mas os produtos têm melhor qualidade. Pechinche sempre!

No centro da praça tem os famoso bichinhos fofinhos do Peru. Você vai aprender a diferenciar uma alpaca de uma lhama. Eu não sabia…

Ccorao, Peru. “Ei, Alpaca, diga oi para o Brasil!”. Selfie com a alpaca, atrás, uma lhama.

Basicamente: alpaca tem o pelo mais felpudo e é de comer (que dozinho!) e fazer roupitchas. Lhamas têm pelagem espessa e são utilizadas como animais de carga.

2) Mercado da Prata:

Confesso que não me lembro o nome desse vilarejo, mas aqui se fabricam as melhores pratas peruanas! E olha que elas são famosas! Além de caminhar pelas ruelas desse lugarzinho, você pode acompanhar a produção das jóias de prata com pedras peruanas. E…comprar prataria com o preço muito mais em conta! Comprinhas!!!!

Ruas do mercado da prata. Olha a visão das montanhas andinas ao fundo!

3) Pisac

Minha favorita! Encontra-se no alto da montanha e só a vista já vale a pena! É uma cidade em ruínas mas, dentre todos os lugares, está em melhor estado de conservação. Aqui você terá contato com as casas de rocha e barro, fornos, currais e toda a estrutura que uma antiga vila poderia ter.

forno feito de barro, Písac.

Os Incas faziam o cultivo e plantio de grãos em plataformas em forma de escadas. Isso possibilitava às mudas se estabilizarem no terreno montanhoso. Essa técnica faz com que o relevo se torne menos íngreme, evitando a perda de solo pela gravidade.

Terraços de arroz, vale de Písac.

Você verá um cemitério Inca, com corpos enterrados na terra e também nas montanhas! Sim! As paredes das montanhas do vale servem de túmulos para os mais altos escalões das famílias da época. Esses “buraquinhos” são túmulos que foram abertos pelas intempéries, o barro utilizado para lacrar algumas covas não resistiram ao tempo.

Túmulos nas montanhas, Písac.

Até hoje há teorias de como os corpos foram levados até lá, mas ao certo, ninguém sabe.

4) Ollantaytambo

Essa foi uma das últimas cidades incas habitadas, é cercada e fortificada por muros. O seu pátio é repleto de templos aos deuses da água e do plantio, e no topo, depois de vários degraus, fica ele: o Templo ao Deus Sol. Foi construído em cima da montanha, estrategicamente para ficar mais próximo ao céu. Prepare-se para os degraus! De verdade! E  também para o cansaço absurdo agravado pela falta de ar!

Ollantaytambo, Peru. Eu não encarei os degraus, fiquei aqui embaixo, toda plena!

Aqui você verá muitas alpacas soltinhas, e das mais mansinhas, que pertencem ao parque. Eu não tive coragem de tocar, mas elas são, realmente, umas fofurinhas!

Eu e a alpaca. Ollantaytambo.

Na entrada do parque tem várias barraquinhas de artesanato. Não deixe também de caminhar por entres as ruelas da vila de Ollantaytambo. Elas são todas em estilo rústico e pode-se observar os aquedutos à toda atividade ao longo das ruas.

Vila de Ollantaytambo.

DIA 02 – Cusco e arredores.

1) Sacsayhuaman

Esse templo construído com rochas,que pesam algumas toneladas, também é um mistério de construção. Acredita-se que em sua engenharia foram aplicadas as mesmas técnicas das pirâmides do Egito. Até hoje permanece um mistério também (muitas das técnicas incas ainda não foram decifradas).

Sacsayhuaman, Peru.

Os peruanos acreditam que aqui foi uma base militar, e demorou quase 50 anos para ser concluída. Com a chegada dos conquistadores espanhóis sobrou apenas 20% daquilo que seria a fortaleza de Sacsayhuaman (carinhosamente apelidada por mim de sexy woman, o som é o mesmo!). As rochas utilizadas nesta construção foram quase todas extraídas para a erguer as igrejas espanholas.

2) Quenko: 

Quenko fica pertinho de Cusco e é o primeiro contato com a cultura Inca, os templos estão em ruínas e apenas sobrou resquícios do que era para ser um templo de sacrifícios, destinado à Deusa da Terra, Pachamama.

Quenko, Peru.

Sim, os Incas eram poligâmicos e utilizavam rituais de sacrifícios, inclusive humanos, para homenagear os seus deuses.

Aqui em Quenko podemos visitar a caverna em que eram realizadas as oferendas, somente mulheres eram sacrificadas, e o número: pasmem! Mais de 100!

Entrada da caverna, Templo de sacrifícios de Pachamama.

Dentro, há uma cama funerária feita em rocha, com uma abertura no teto para a entrada do sol, que iluminava o ritual.

Câmara de sacrifícios.

3) Tambomachay

É um sítio arqueológico destinado às àguas.  Aqui eram realizados vários cultos às águas. Está localizado um pouco acima de Cusco em altura e precisa de uma caminhadinha para alcançá-lo… logo, prepare seu fôlego, porque o ar falta mesmo!

Tambomachay. Observe os aquedutos logo atrás.

Os Incas não tinham nem de perto a nossa tecnologia (século XII) mas eram mestres em construções. Observem os aquedutos na foto, estão em funcionamento até hoje.

DIA 3  – Salinas de Maras e Moray

Quando compramos o tour, ganhamos uma tabela de tickets destacáveis que dão direito a entrada aos sítios. Meu tour não incluía essas duas atrações, mas como eu já havia comprado e não podia deixá-las de fora, eu fui por conta mesmo, contratando um taxista (aqui foram mais R$ 120,00).

1) Salinas de Maras 

Essas Salinas são eleitas uma das mais lindas do mundo! Na verdade, elas não são relacionadas aos Incas mas sim ao povo peruano pós colonização. Sim, eles conseguiram  construir uma salina na montanha! O processo de extração do sal consiste em fazer as águas correrem por piscinas rasas que facilitam o processo de evaporação, restando o que?! Tcharan, sal!!!

Salinas de Maras, Peru.

Vale reforçar que o mar está bem longe daqui!

2) Moray

Moray é um laboratório de pesquisa criados pelos pré-incas, isso mesmo, a céu aberto. Aqui eles faziam estudos sobre o solo e o clima, utilizando técnicas para aprimoramento da lavoura. Assim, eles conseguiam compreender os efeitos climáticos de chuva e solo sobre a plantação.

Moray, Peru.

E aí? Gostou das dicas? Vem comigo que tem muito mais!

Vem conhecer Machu Picchu, a Cidade Perdida dos Incas!

Machu Picchu: a Cidade Perdida dos Incas. Como chegar? Dicas e Gastos.

Caminho alternativo para Machu Picchu: Trilha Salkantay

 

Libriana, concursada e maluca por viagens! Ama sua mochila e não dispensa um carimbo no passaporte! Meta de vida é dar a volta ao mundo. Quer estar em cada pedacinho dele. Trintona, não pensa em casar e ter filhos. Só pensa em viajar! Gosta de gente e não dispensa uma boa festa. Cômica ,falante e muito direta! Quer incentivar as pessoas a tomarem coragem e meterem a cara nesse mundão! Afinal, a vida está lá fora! BORA! @aninha_rnct

%d blogueiros gostam disto: