Mundo

O que fazer no Egito? Tudo o que você precisa saber!

Ahhh! As tão sonhadas pirâmides e os templos do Egito! Quem nunca sonhou em pisar nessa terra depois de todas aquelas aulinhas de história, não é mesmo? Pois é, eu sempre quis! Mas, estou aqui para contar tudo aquilo que os livros não mencionam, quando resolvemos pegar o avião e conhecer as tão sonhadas paisagens egípcias! Vou falar DAS VERDADES QUE NINGUÉM CONTA sobre lá…

Pirâmides de Gizé

Claro, esse post é baseado nas minhas experiências, mas gostaria de ter lido algo assim antes de ir! Teria mudado o meu roteiro? Sinceramente, não! Não mesmo! Mas acho legal estar preparado!

A primeira coisa a saber, sem dúvidas, é que você estará pisando em terras de cultura árabe! Sim, e de todos os lugares de religião muçulmana em que estive, achei o Egito o lugar mais tradicional de todos. E, acredite, eles são em muitos! Muitos mesmo! Lá vão as diquinhas!

Luxor Temple

1) Desorganização no Egito:

Essa foi disparada a viagem mais estressante que eu fiz na vida. Nada funciona! Ou melhor, tudo funciona! Mas do jeito “arabian way of life”, se é que me entendem…

Então, sempre digo, vá preparado psicologicamente! Se você contratar um tour antecipado, entenda que serão horas de discussão até eles descobrirem se você realmente pagou ou não (mesmo você tendo pago)! O mesmo será com o hotel. O mesmo serão com os tickets de ônibus, o mesmo será com o serviço dos guias. O mesmo será para tudo. Tive a impressão que tudo dá errado antes de dar certo. Indico, inclusive, remedinhos para o estômago, porque até eu, que sou calma, consegui sair do meu corpo algumas vezes.

Old Cairo – Cairo.

Não quero desencorajar ninguém, mas acreditem em mim quando eu digo! Vá com tempo, não faça roteiros apertados!

2) Discussões e Brigas Árabes:

Entenda que você vai ver MUITA briga entre os árabes. Quando digo isso, não é apensas verbal, não! Eles gritam para tudo e o tempo inteiro! E não há o menor constrangimento nisso. E, eles se moem na pancada também! Rsrsrs! Vocês devem estar pensando “nossa, que menina negativa que escreveu esse texto”… mas depois que meu voo atrasou mais de 40 minutos porque duas mulheres árabes de estapearam dentro do avião e nem a policia conseguia tirar… eu resolvi contar (a essa altura já não me impressionava mais)!

até parecem calminhos, não?

Acesse a nossa loja online loja.dcpm.com.br


3) Segurança nas cidades do Egito:

Não vou ser injusta! A segurança nos países árabes é muito maior que a brasileira. O turista é MUITO respeitado e as leis são severas para aqueles que fizerem qualquer tipo de mal a um gringo. Então, como turistas nas cidades, estamos seguros.

Mesmo porque, a religião está muito presente na vida dos egípcios e isso inclui, não roubar. Pequenos furtos podem acontecer, mas geralmente são feitos por crianças. Até mesmo os moradores te alertam disso. Durante o Ramadã as ruas ficam desertas porque o comércio inteiro fecha, apesar de me sentir insegura, acredito ter sido coisa da minha cabeça.

Casa nas tumbas – Cemitério do Cairo.

O Cairo tem 19 milhões de habitantes, mas parte dessa população é muito pobre. Cerca de 40% da população moram dentro dos cemitérios. Você pode visitá-los, mas a indicação é que se hospede e circule pelas regiões centrais (perto da El Taheel Square) ou locais turísticos.

4) Mulheres no Egito:

Olha, escutei muito sobre assedio no Egito, mas a verdade é que eu mesma não presenciei nada. A cultura é machista se compararmos à nossa.

Então, para evitar qualquer desconforto, eu indico cuidar muito bem das roupas. Se estamos entrando em um lugar em que as mulheres andam cobertas, acho, sinceramente, que um decote pode ser evitado. Os homens olham mesmo, muitas vezes até falam algumas palavras em árabe em relação a isso.

Temple of Hatshepsut – Luxor. Lugares turísticos dá para se vestir mais a vontade.

O que eu recebi de olhares se dividem entre curiosidade, porque nos vestimos do jeitinho ocidental (acredito que tanto homens quanto mulheres nos acham “bonitos” porque somos diferentes), e um pouco de desconforto dos homens com relação à presença de mulheres desacompanhadas nos locais públicos.

Karnak Temple – Pernocas de fora porque aqui pode!

Você não precisa andar de véu e burca, claro que não! Mas tampar os ombros, o decotinho e as pernas é bem prudente na maioria dos lugares. Eu levei um lenço, procurei usar vestidos longos e frescos, o calor é terrível mas em lugares turísticos você pode ficar mais a vontade, para os demais… lencinho nos ombros mesmo!

Karnak Temple – Luxor. Para caminhar na cidade, sempre com um lencinho.

5) Barganha no Egito:

Que o árabe não te rouba, já ouvimos falar. Mas, se ele puder ganhar qualquer tipo de vantagem monetária em cima de ti, meus caros, eles vão! Então, tudo é barganhado. Pode jogar a metade do preço dos produtos sem dó.

Outra coisa, sempre confira o que está comprando nos mercadinhos de rua, mesmo que isso inclua duas águas e um suco de caixinha. Você não vai se surpreender em não encontrar o suco na sacolinha.

Ainda, não caia em conversas de “roupinhas por 10 dinheiros!”, não é a roupinha, embora a conversa inicial pareça que sim. Geralmente é um lenço ou uma meia, “o preço da roupa é outro, minha senhora”.

Bazar El Khalili – Cairo.

Guias costumam te levar em locais de consumo e ganhar por isso, então, se tiver tempo, descubra onde as lojas ficam com um e volte lá sozinho. Os meus guias saíram até com corrente de prata de presente do lojista e óleos egípcios. Desconfio que fui eu quem paguei por isso!!!

Mercado da prata. Cairo. A loja que o meu guia saiu com mais pratas do que eu. RSRSRS

Outra coisa importantíssima! Sempre confira o troco. Eles gostam de não dar troco e ainda se fazerem de desentendidos. Ou pior: A libra egípcia tem nota de 50 centavos, e, eles costumam passar a nota (para os gringos que não conhecem bem o dinheiro) como se fosse 50 libras! Fiquem espertos! Nem preciso dizer que caí nessa também!

Fora os cuidados nada absursos, tudo se resolve! E boas compras! É realmente tudo muito barato!

5) Comida e Higiene:

HAHAHA. Essa é a parte complicada. Higiene… bom, eles não são as pessoas mais limpinhas do mundo! As cidades são imundas, os hoteis… bom, os hotéis são a extensão das cidades (pelo menos nos considerados 3 estrelas)! Mas calma, a entrada deles são realmente muito sujas! Cheios de poeira, carvão de arguile e lixo. Mas não tive problema com os  quartos.

A entrada mais assustadora de hotel da minha vida, mas o quarto era bem limpo e essa era minha visão, Torre do Cairo e Rio Nilo.

A comida é bem seca! Apesar da comida árabe ser super popular e saborosa no Brasil, não vi nada parecido no Egito.  As cidades de interior são bem mais pobres que o Cairo, você vê os alimentos sendo vendidos na rua, disputando espaço com gente, carroças e carros. Eu acredito que toda a comida da cidade saia dali, então, é isso que você irá comer.

Ruas de Luxor.

Eu ganhei uma diarreia que durou 15 dias. Boa sorte!

6) Receptividade no Egito:

Os egípcios são extremamente receptivos. Principalmente aqueles que lidam com comércio e com o turismo diretamente. Isso implica em te oferecer cortesias e comida o tempo inteiro, mesmo sem intenção de te vender algo. Se preparem para tomar “leite de cabra com açúcar”!

No interior, como todo lugar, o coração das pessoas é imenso. Os sorrisos, os cuidados e a atenção que você recebe é fora de serie. Você consegue até se aproximar do dia a dia deles.

Luxor. A melhor experiência de todas as minhas viagens: conhecer esse carroceiro. Ele nos levou para conhecer de perto a vida dele e seus cavalos.

Mas, no Cairo, por ser gigantesco e caótico, as pessoas estão mais ligadas a elas mesmas do que com os problemas alheios… Vocês podem até receber um sorriso, mas não espere muito esforço quando precisar de ajuda. Isso inclui no aeroporto e na rua, quando pedir informações gerais, aquelas que temos quando estamos perdidos. Lá o esquema é “cada um por si, baby”!

7) Ramadã

No Ramadão, tudo fecha. Isso significa que a visita a muitos locais fica impossibilitada durante todo o período ou que os horários são alterados (leia-se reduzidos).

Mesquita-Madrassa do Sultăo Hassan. Cairo completamente vazio durante o dia.

Mas, no Cairo por exemplo, a cidade ganha vida a partir das 20 horas! Aí você verá os cafés e ruas lotadas até as 3 ou 4 h da manhã. Isso mesmo! Com crianças nas praças, inclusive. São 20 milhões de egípcios saindo das suas casas e indo às ruas.

Cairo durante a noite – Apresentação de teatro de rua sobre o Ramadã.

Cervejinha? Não é impossível, mas quase! A cerveja é tirada de circulação até mesmo nos bares e restaurantes mais turísticos da cidade. Você até consegue comprar nos grandes hotéis se apresentar o passaporte estrangeiro e não tiver alguma descendência árabe. Caso contrário, chá, sucos e água!

8) Transporte:

Os táxis funcionam, o Uber, nas cidades grandes, nem tanto! No Cairo, além de chamar o Uber, você tem que ligar para o motorista, que não fala inglês, e explicar onde você está. Isso porque o GPS não funciona muito bem!

Os táxis são comuns em todo o Egito, taxímetro é lenda e os preços vão de acordo com a sua cara. Para calcular quanto custa uma viagem, jogue metade do preço pedido, se eles não toparem, você chama outro pagando um pouco mais (pelo menos assim você consegue ter uma ideia de preços).

Quase todos os taxistas te oferecem serviços de guia, até vale a pena, mas nunca aceite na primeira! Os motoristas baixam os preços, baixam muito mesmo. O nosso “guia” fez o dia todo de passeio por mais ou menos 20 dólares. No fim, obviamente, ele tentou cobrar esse valor de cada um (o que não deu certo, pois havia combinado o valor antes). Especifiquem tudo certinho antes de contratar um tour.

Luxor Temple

Então?! Partiu Egito?! Claro que sim! Esse lugar é maravilhoso e as paisagens são surreais. Agora, tudo o que você precisava saber sobre lá, para que a tão sonhada trip não se torne um pesadelo, você já sabe! É só entender, ir preparado e curtir tuuuuuudo que esse país tem a oferecer!

Vai pra lá? Conta pra gente!

 

 

 

 

Libriana, concursada e maluca por viagens! Ama sua mochila e não dispensa um carimbo no passaporte! Meta de vida é dar a volta ao mundo. Quer estar em cada pedacinho dele. Trintona, não pensa em casar e ter filhos. Só pensa em viajar! Gosta de gente e não dispensa uma boa festa. Cômica ,falante e muito direta! Quer incentivar as pessoas a tomarem coragem e meterem a cara nesse mundão! Afinal, a vida está lá fora! BORA! @aninha_rnct

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: