Turismo

Sudeste Asiático – Quais países visitar?

Ah! O Sudeste Asiático. O que eu posso dizer sobre esse “pedacinho” de continente maravilhoso que tem países tão diferentes? São tantas coisas… Difícil começar, difícil saber parar!

Cada país tem tradições e culturas típicas que tornam esse destino muito rico do ponto de vista humano. Sim, diversidade cultural! E o cenário não fica para trás! Aqui estão as mais diversas paisagens e atraem gente do mundo todo, com as mais variadas intenções de turismo. São tantas opções sobre o que conhecer que muitas vezes termos que definir as prioridades. O tempo de visita acaba ficando realmente curto para tanto mundão!

Para escolher o roteiro, precisamos saber quais os países que formam essa região: Brunei, Camboja, Filipinas, Indonésia, Laos, Malásia, Mianmar, Singapura, Tailândia, Timor Leste e Vietnã.

E o que esperar desses países? Eu costumo retrucar: o que você quer ver? Porque aqui podemos encontrar opções bem distintas. Têm praias e as mais lindas delas: praias da Indonésia, Filipinas e Tailândia. Tem a baía e todas as cavernas do Vietnã, os arranha céus de Singapura e da Malásia, e os sentidos a flor da pele em Laos, Myanmar e Camboja.

Infelizmente, ainda não visitei todos eles, mas vou falar com base nas minhas experiências: tive o prazer de conhecer a Tailândia, o Camboja, a Malásia e a Indonésia. E essa pessoinha afirma categoricamente: vou voltar conhecer o restante!!!

Por que esses países, Ana?
Vamos lá, eu sou uma pessoa que gosta bastante de mesclar vibes de viagem. Então, dentre esses países que compõem o Sudeste Asiático, busquei aqueles que me dariam mais experiências diferentes. Inclui um pouco de cada ” estilo” de viagem que me dariam dias intensos e nada monótonos. Cada país em que estive tem características bem peculiares e as propostas são bem antagônicas.

Eu quis ter ver paisagens diferentes, para  isso, adicionei ao roteiro, não somente cidades grandes mas também  cidades de interior, coloquei praias e coloquei natureza.

Outra coisa, o Sudeste Asiático é muito religioso e lá você pode ter contato com as mais diversas religiões. Com certeza, essas religiões estão muito presentes não só nos hábitos pessoais mas também se misturam com a arquitetura do lugar. Eu tive a oportunidade de ter contato com o budismo, o hinduísmo, com as religiões chinesas e muçulmanas.

O que eu não me propus? Bom, não me propus a fazer uma viagem que só tinha templos ou somente praias, depois de pesquisar muito, separei os destinos por prioridades.

A Tailândia entrou no roteiro por ser Budista e ter os templos coloridos (escolhi Bangkok como destino e somente ela). As demais cidades também têm templos para visitar e, ainda que eles possam ser mais bonitos que os de Bangkok, acreditei que aqueles seriam suficientes e realmente foram! Muita gente reclama que após algum tempo os visitando a viagem fica repetitiva. Eu quis evitar isso e deixar mais tempo para o restante da Ásia.

A dúvida entre Ayutthaya (antiga capital da Thai) e Siem Reap (Camboja): ambas cidades possuem voos diretos e são detentoras e templos mortos, em ruínas. Eu pesei muito na hora de optar por uma ou outra e o que foi definitivo na minha escolha, sem dúvidas, foi o estilo de vida cambojano. Além de conhecer outro país e o maior complexo de templos atuais, eu pude ter contato com outra cultura. Siem Reap é uma cidadezinha de interior e ia me proporcionar momentos bem diferentes, de calmaria em comparação à grande Bangkok.

A Indonésia entrou pela oportunidade de ver natureza nessa mesma viagem. O interior de Bali tem muitas opções de turismo verde e também seria um diferencial na minha trip. Lá, eles são hinduístas e a diferença cultural é muito perceptível, a começar pelas estruturas das casas e modo de vida.

Outro ponto que me fez pensar antes de decidir: quais praias visitar? A Ásia têm as mais variadas delas e a dúvida era: Thai ou Indonésia? O que me fez optar pela Indonésia foi mais uma vez o tempo.

Apesar de cinematográficas, as praias tailandesas dependem de tempo disponível para chegar. Toma-se muito tempo e a quantidade de horas gastas com o transporte de barco acaba por atrapalhar quem está com o roteiro apertado. Como eu já iria para a Indonésia, optei por conhecer as praias de Bali e, agreguei a praia de Gili T (Lombok), que é paradisíaca e de águas bem azuis, no roteiro.

Quanto à Malásia, o que pesou foi o perfil da cidade: completamente moderna, com construções luxuosas e arranha-céus. Apesar de ter um mix cultural muito grande, entre chineses, malaios, indianos e muçulmanos, a cidade é predominantemente muçulmana. Mais uma vez, a cultura é bem diferente, as construções e mesquitas, as comidas e o temperamento da população.

Para resumir, os meus principais objetivos em cada país foi:

-Tailândia: templos vivos e coloridos. Religião Budista.

 

– Camboja : templos em ruínas e histórico de guerras.

 

-Indonésia: praias e natureza, religião hinduísta.

 

– Malásia: modernidade da cidade, religião principal muçulmana.

E AÍ? GOSTOU DOS MEUS RELATOS? Então vem comigo que eu vou falar detalhadamente de cada pedacinho que eu estive, dando dicas de onde ficar, o que conhecer, o que comer e muito mais!

CONFIRA TAMBÉM:

O que esperar da Tailândia – Bangkok

O que esperar de Siem Reap – Camboja

Tudo sobre Ubud, Bali. Roteiros e dicas.

A Ubud de “Comer, Rezar e Amar”. O que esperar?

16 lugares que você PRECISA conhecer em Bali!

Libriana, concursada e maluca por viagens! Ama sua mochila e não dispensa um carimbo no passaporte! Meta de vida é dar a volta ao mundo. Quer estar em cada pedacinho dele. Trintona, não pensa em casar e ter filhos. Só pensa em viajar! Gosta de gente e não dispensa uma boa festa. Cômica ,falante e muito direta! Quer incentivar as pessoas a tomarem coragem e meterem a cara nesse mundão! Afinal, a vida está lá fora! BORA! @aninha_rnct