Dicas

Rio For Free #1 – Dicas de passeios gratuitos pela cidade maravilhosa

Atenção viajantes, agora não tem mais desculpas! Quando tiver promoção de passagem aérea para o Rio de janeiro, não quero saber de: “Ah, mas e os passeios? Lá é tudo caro, não tenho dinheiro”. Não seja por isso, seus problemas acabaram! Isso porque nós do DCPM vamos começar, por esse post, uma série de dicas de atrações gratuitas na cidade maravilhosa. É o Rio for Free, minha gente! Vocês vão se surpreender com a quantidade de lugares legais, disponíveis pra conhecer sem gastar uma moedinha de real. Essa você deixa pra pipoca, água, souvenirs e outros passatempos da sua viagem.

1 – Samba na Pedra do Sal – Vamos começar pela balada, night ou o nome que você escolher pra chamar aquela saída noturna. Como diz a canção “Quem não gosta de samba, bom sujeito não é…” Brincadeira viajante! É só pra colocar um pouco de som nesse post. Quer um programa mais a cara da noite carioca que uma roda de samba? E se você gosta de originalidade, vai pro lugar certo. Democrático, já que é ao ar livre, o evento acontece num local onde eram cortadas as pedras para a construção das ruas da cidade, eram feitas a separação do sal para embarque no porto e os negros aproveitavam pra manifestarem suas tradições. Conhecido como Pequena África, foi lá que nasceu o samba urbano carioca conhecido em todo mundo.

Endereço: Morro da Conceição – Bairro da Saúde – Centro do Rio
Horário: Seg e sex – 20h

Foto: Alexandre Macieira – RioTur

2 – Trilha no Morro da Urca – O Pão de Açúcar está entre as três principais atrações de capital fluminense. Quando a gente pensa no atrativo, lembra logo dos famosos bondinhos. Mas existe uma forma mais barata e, posso dizer até fácil, de se chegar ao topo do Morro da Urca, que é a primeira parada do teleférico do ponto turístico. Isso mesmo, é através de uma trilha bem sinalizada de aproximadamente quarenta minutos. Uma subida leve mas íngreme, que garante no final um visual lindíssimo da enseada de Botafogo e Praia Vermelha, e uma estrutura com banheiros e lanchonetes. Claro que quem optar por essa forma de visitar a atração só conseguirá fazer metade do passeio, já que pra chegar no Morro do Pão de Açúcar, precisará embarcar no bondinho, mas garanto que vale muito a pena, e o mais importante: não paga nada!

Endereço: Pista Cláudio Coutinho – Praia Vermelha – Urca

O morro da Urca tem quase 300 metros de altura

3 – CCBB – O Centro Cultural, antiga sede do Banco do Brasil, é uma das instituições culturais mais visitadas no Brasil, segundo a publicação inglesa The Art Newspaper. O prédio encanta pela bela arquitetura no estilo neoclássico do final do século XIX, e mais ainda, pela riquíssima programação artístico cultural que oferece aos seus visitantes. As exposições permanentes, como as de numismática e a da história do banco estatal, e as itinerantes, mais comentadas, são todas sempre gratuitas. Há também peças de teatro, cinema e apresentações musicais (esses em sua maioria com cobrança de ingressos). Com uma ótima localização, fica “ao lado” da Igreja da Candelária e outros prédios históricos, bem próximo à Baía de Guanabara, possibilitando ao turista estender o passeio pelos arredores após a visita.

Endereço: Rua 1º de março, 66 – Centro do Rio
Horário: Quarta a segunda – 9h às 21h

O prédio do CCBB, de estilo neoclássico, data o final do século XIX

4 – Mural do Kobra e grafites – Quem gosta de arte urbana vai amar a região portuária. A área revitalizada por causa das Olimpíadas em 2016 trouxe mais um atrativo para o Centro do Rio. O projeto transformou antigos espaços abandonados, e agora conta com o AquaRio, Museu de Arte do Rio e o Museu do Amanhã. Mas, além dessas atrações, ao longo da extensão do porto, na Orla Conde, há um grande mural do artista brasileiro Eduardo Kobra com cinco rostos representado os povos nativos dos cinco continentes e grafites de outros artistas. Um grande museu de arte a céu aberto pra quem quiser apreciar. Lugares pra uma selfie belíssima não vão faltar.

Endereço: Em frente a parada dos museus do VLT – Altura do armazém 4 – Cais do Porto

O maior mural do mundo feito por um único artista. São 15 metros de altura e 170 de comprimento

5 – Parque Lage – Localizado na Zona Sul da cidade, o parque público conta com uma área verde de um pouco mais de 50 hectares, bastante frequentada pelos moradores dos arredores nos fim de semanas. O espaço abriga ainda, uma antiga residência privada, construção tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), que se transformou na Escola de Artes Visuais da cidade. Na instituição são oferecidos cursos, exposições e atividades artísticas gratuitas, além de uma área de convivência com um bistrô aos pés do Morro do Corcovado. Sem dúvidas é um ótima escolha para respirar um ar puro e curtir a calmaria tão rara nas grandes metrópoles.

Endereço: Rua Jardim Botânico, 414 – Jardim Botânico
Horários: Parque – Diariamente, das 8h às 17h (durante o horário de verão, até às 18h). Bistrô Plage: Seg a Sex – 09h às 23h. Sábado – 13h às 23h. Domingo – 09h – 23h.

Então é isso pessoal, fechamos aqui as cinco primeiras dicas do “Rio for free”. Está bem diversificada, com opções para o dia e a noite, opções naturais e culturais. Dá inclusive pra fazer um mini roteiro completo, não acham? Espero que tenham gostado e aproveitem bastante. Até a parte #2!

Guia de Turismo e Estudante de Jornalismo do Rio de Janeiro. Criadora do IG Ela, a Viajante. Apaixonada por tudo que envolve o universo de viagens: cultura, línguas, história, arquitetura, gastronomia... As diferenças tornam o mundo mais interessante!

%d blogueiros gostam disto: