Agência DCPM
28 de janeiro de 2018

O que esperar do Camboja – Siem Reap

AH! O CAMBOJA! Gosto de começar citando a Joseph Mussomeli (ex-embaixador americano no Camboja) Para desconstruir qualquer ideia que possamos erroneamente ter sobre esse país maravilhoso

“Tome cuidado, pois o Camboja é o país mais perigoso que você já visitou ou irá visitar. Provavelmente você se apaixonará por ele e ele irá partir seu coração.”

Quando falamos nesse país tão marcado por guerras civis (30 anos ao total), o primeiro pensamento que nos vem à cabeça é: “Nossa, só sei que lá tem mina terrestre e teve guerra!”. Bom, isso é verdade sim, e talvez seja por isso que o seu povo é o mais sofrido e caloroso da Ásia que eu conheci.

Siem Reap, fica a 45 min de avião de Bangkok e é muito procurada por estar pertinho do maior complexo de templos construídos no mundo: os templos de Angkor. Hoje, os templos estão em ruínas mas já passaram por transações religiosas (do hinduísmo ao budismo) e sua história está toda entalhada nas paredes. Essa imensa construção religiosa serviu de abrigo para mais de 20 mil pessoas e o melhor, apesar de terem sidos construídos em meados do século XII. estão em excelente estado de conservação.

Além de templos religiosos, esse complexo tinha também casas, palácios e sedes de comércio. Então prepare-se para conhecer as mais diferentes estruturas. Sim, você verá ruínas com estátuas muito bem conservadas e templos que foram tomados pela natureza: construções e árvores competindo por espaço.

Tombado como Patrimônio Mundial da Unesco e, símbolo da bandeira do país, Angkor Wat o principal templo do complexo, era sede da da capital Khemer.

Geralmente é por ele que se começam as visitações, e o nascer do sol neste lugar dá uma visão realmente fantástica! Por nascer atrás das construções, é possível avistar os contornos do templo no céu e sua imagem refletida no lago, que fica logo em frente. É um show!

nascer do sol em Angkor Wat

Agora dá para entender a razão pela qual muitos turistas começam a visita ao parque antes das 5 da manhã, não é mesmo?

Siem Reap tem muito mais a oferecer além de suas belas paisagens. Com certeza, o povo desse lugar é o maior patrimônio que ela possui. Você só nota isso quando vem a conhecê-los e não há texto na internet que explique tamanha bondade no coração.

Gente acolhedora e de sorriso no rosto: pequenos, magros e de pele mais escura que os tailandeses, alguns mutilados pelas minas terrestres, outros mutilados pela ausência de pais. São vários órfãos desde os tempos de guerra aos dias de hoje. Bastante pobreza e simplicidade e mesmo assim se preocupam em deixar o café da manha pronto em marmitinhas quando você sai do hotel antes dele ser servido (no meu caso, às 4:30 da manhã).

Pub Street.

O cenário na cidade mais famosa do Camboja lembra uma cidadezinha de interior, quente (muito quente!) e com 50 tons de marrons. As casinhas são rústicas e o comércio, no geral, também. Sim, você verá muitas tendinhas, seja de comércio ou destinados a alimentação. Os veículos são velhos e usados e, podemos dizer que a palavra que a define é novamente :simplicidade.

tuk tuk cambojano e as feirinhas de rua de Siem Reap.

Mas escolher esse destino, longe daquele agito das grandes cidades, para passar uns dias te faz se desligar de toda aquela loucura  que estamos habituados a viver. Aqui você vai entrar em um estilo de vida tipicamente interiorana e descobrir o quanto é bom caminhar pelas ruas e conhecer todo o centrinho todo a pé , passeando sem pressa.

Essa é a cidade dos mercados, existem dois principais. O Angkor Night Market , apesar do nome, funciona durante o dia também, mas é a noite que o encanto aparece: ele é super colorido, com luzes e vendinhas espalhadas por todos os cantos.

Night Market

Aqui você pode aproveitar para comprar temperos locais, souvenires e até roupas típicas, como lenços e sarongues. E como todo mercado, podemos ver de tudo, inclusive a invasão das mercadorias chinesas! Até os monges aproveitaram nesse dia!

Já, em contrapartida, temos o mercado local de Siem Reap: Old Market. O mercado velho é um lugar interessante de se visitar mas temos que entender muita coisa e ignorar mais ainda. Frequentado por moradores locais, podemos perceber a real situação em que os alimentos são mantidos.

Esse mercado é muito quente e em virtude disso não existe boa qualidade na conservação dos alimentos, e isso, obviamente, inclui carne!

Old Market

Ver as pessoas abanando a carne com folhas de bananeira para espantar os insetos que ficavam em cima foi até fraco! O que me assustou foi a ideia de que as pessoas locais realmente as compravam para consumo próprio. Isso me fez refletir muito sobre várias coisas….

A minha primeira reação foi pensar “ meu Jesus, eles comem isso!!!” e logo após, entender que aquela comida é o que eles têm para comer. Tive que me lembrar que devido à situação anterior do país, em que a gurra trouxe fome constante e assoladora, talvez essa situação não seja assim tão ruim.

E por falar nisso, eles também comem insetos e répteis, são alimentos normais do dia a dia. Você verá mulheres vendendo-os em bandejas, próximo à Pub Street: cobras em espetinhos e aranhas imensas (pareceu-me aranha carangueijeira mas a estatura era de um ser humano. Rsrs, nem tanto!). Ai deus!

Vou ser sincera, comer escorpião na Khao San Road em Bangkok foi fichinha perto de Siem Reap. Aqui, realmente não deu coragem.

Noooossa, apesar de tudo, foi em Siem Reap que eu realmente comi muito bem! Sinto saudades da comida de lá até hoje. Pra mim, é a melhor comida do Sudeste Asiático! A  Pub Street é a responsável por todas as minhas comilanças! Lá eu provei o Amok de Crocodilo (comidinha feita à base de leite de coco, huumm)

Pub Street

Eu comi tando que cheguei ao cúmulo de almoçar duas vezes! Aham! Comi em um restaurante, levantei, atravessei a rua e sentei em outro para comer de volta! E, a coisa mais linda desse mundo, o draft de cerveja custa U$ 0,50. Isso significa que em um calor absurdo a pessoa se hidrata com cerveja! rs rs rs.

Ainda sobre a comida, bom, é simplesmente IMPERDÍVEL o churrasco cambojano. Sim, para quem come carne deveria ser obrigatório!!! Brincadeiras à parte, é realmente bom  e se você for disposto que nem eu à comer qualquer coisa e experimentar…

Cambodian Barbecue

Eu comi de tudo nessa grelha aí,  rã, crocodilo, canguru, coala.. e assim vai.

Outra coisa que é realmente obrigatória no Camboja e nos países em geral da Ásia é o piriri. Sim! Ninguém  fala abertamente sobre essa obrigação mas, se você conversar com qualquer pessoa que foi até o Sudeste Asiático, ela vai te contatar da situação que passou. Então, se isso não é obrigatório, o que é? É brincadeira mas esse assunto é muito sério: tome muito cuidado com as condições de higiene do que você ingerir. Uma infecção alimentar pode estragar a sua viagem.

Eu fiquei apenas 3 dias em Siem Reap e foi mais do que o suficiente. A cidade em si é bem pequena, então, o  meu negócio foi desfrutar com calma.

Pub Street

Mas, além do tour aos templos de Angkor e o centro da cidade, você tem a opção de visitar o Museu da Mina Terrestre ( landmine museum), que fica longe do centro da cidade mas diz ser muito emocionante. Parte do dinheiro arrecadado é investido nas causa das crianças órfãs.  Inclusive, existem vários orfanatos que você pode ir visitar.

Outro tour recorrente é a visita de barco às vilas flutuantes. Lá você terá contato com as comunidades que vivem em casas flutuantes  no meio do rio. Aconselho a ler vários relatos antes de fechar definitivamente esse passeio. Li bastante comentários a respeito e as opiniões são bem antagônicas.

E AÍ? Conseguiu ter uma ideia sobre o que você encontrará em Siem Reap? Então chega comigo que eu dou dicas de tudo que você precisa saber antes de chegar lá, onde ficar, o que fazer e o que levar na mala.

Leia também:

O que esperar da Tailândia – Bangkok

Sudeste Asiático: quais países visitar?

Gili Trawangan – um pedacinho paradisíaco na Indonésia

Tudo sobre Ubud, Bali. Roteiros e dicas.

A Ubud de “Comer, Rezar e Amar”. O que esperar?

16 lugares que você precisa conhecer em Bali, Indonésia.