Turismo

O que esperar da Tailândia – Bangkok

Quero ir à Tailândia e agora? O que esperar de lá?

Acho que a palavra que define essa viagem é “sensações”. Você terá as mais variadas delas, os cheiros, os gostos, as cores… Se você quer ter uma experiência diferente de tudo que já vivenciou, acho que essa pode ser a sua melhor tacada e pode se tornar a viagem da vida!

Sair da sua terra, com costumes ocidentais e cair praticamente do outro lado do mundo é sem dúvidas, uma experiência única. Se nós viajamos para tantos lugares por aqui e já ficamos encantados com as diferenças culturais, na Ásia então, é uma explosão de diversidades. É um mundo completamente novo e você vai se pegar perguntando “gente, esse lugar é de verdade mesmo?”.

Bom, para mim, a Tai é o país dos templos , das cores e dos sabores.

A população tailandesa é em sua maioria budista e, como os demais países da Ásia, a religião está presente em quase tudo, influi não só nos hábitos das pessoas mas também na estrutura das cidades. Todos os lares e comércios  que creem no budismo têm em frente uma casa dos espíritos  (san phra phum) para  fazer oferendas e que serve de abrigo aos espíritos que antes habitavam a casa da família.

Além disso, eles tem um rei também, faleceu recentemente ( em 2016) e ainda a cidade vela a sua morte. Sim! A presença dele ainda está muito viva, cortinas e tecidos pretos espalhados ao longo da cidade demonstram o luto e monumentos com flores demonstram o carinho do povo.

monumento em homenagem ao rei da Tailândia,

Eu visitei apenas Bangkok e posso dizer que sou completamente apaixonada por ela.

Os templos! Ah! Esse, com certeza, é um dos principais atrativos de turismo na cidade. E não é a toa! Têm muitos e para todos os gostos. Você verá vários Budas, vários monges e várias estátuas. É comum se perder de tanto passear por seus pátios coloridos e cheios de detalhes.

É uma delicia sentar-se e observar  o dia à dia do tailandês. A dedicação dessas pessoinhas tão pequenininhas que têm sua devoção estendida para a vida cotidiana.

Wat Arun

E os monges? Você verá os monges dentro e fora dos templos, caminhando tranquilamente ao longo das ruas e passeando de barco ao longo do Chao Phraya River. Levando uma vida regrada à simplicidade, orando, conversando, tendo uma vida normal, como as demais pessoas.

Você ainda pode ter a experiência incrível de conversar com alguns deles, eu consegui, mas receio que eu falei o meu inglês e o monge, o dele. Foi realmente lindo! Mas, com certeza, não nos entendemos!!!

Templo Wat Arun

Sobre a comida… Eu também comi muito e muito bem! É preciso entender que os sabores são diferentes dos nossos e degustar! Aprecie os temperos! São comidas extremamente saborosas mas temos que aprender a comê-las. Para isso, desapegue-se (ou tente!), apesar de serem pratos apimentados, com o tempo você se acostuma! Nunca fui fã de pimenta e confesso que hoje eu sinto falta da danada na comida.

Se você não gosta mesmo de pimenta e não está disposto a tentar, entenda: parece que tem pimenta no ar que se respira! Parece que ela faz parte do seu corpo e não adianta fugir, ela te segue! E se você pede a comida sem pimenta, ela virá apimentada do mesmo jeito! Não tem como se livrar! Acho, sinceramente, que o sabor já está encalacrado nas panelas e talheres!

Ah, os frutos do mar! Você vai se esbaldar de comer frutos do mar! E se você não gostar, não tem problema! A culinária tailandesa é realmente muito rica, têm muitas frutas e noodles, dá para comer muito e bem. Não tem queijo! Gente, eu amo queijo! E lá, por exemplo, até as linhas de fast food vêm sem queijo, tem que pedir e pagar adicional! Aconteceu isso no Burguer King e no Mc não tem o Mc Melt.

Tem restaurantes para todos os bolsos!

Acreditem em mim quando eu te digo que a comida é realmente barata!

E já que entramos nesse assunto, tudo que entra uma hora sai! Existe uma regra para quem vai â Ásia que não é dita em voz alta mas que todos sabem que vai acontecer: você vai ter piriri! E o que eu digo sobre isso é: torcer para ser um dos fracos! Fiz um post só sobre isso porque os meus me fizeram passar muito perrengue! Confira: Perrengue na Tailândia. Agora falando bem sério, tome cuidado com o que você come e onde come. As infecções alimentares são bem comuns em turistas e, infelizmente, é mais comum ainda ter que procurar ajuda médica.

Nada melhor que ao fim do dia, relaxar com as famosas massagens tailandesas! Os dias são quentíssimos e depois de muita caminhada, chega a ser dos deuses!

Outra coisa, a pobreza está nas ruas! A população, de modo geral, é bem simples mas não se preocupe, simplicidade não é sinônimo de falta de segurança. E realmente não é!

A prostituição acaba por se tornar um tanto comum e você vai presenciar isso diversas vezes! Vai descobrir que têm várias LadiesBoys e vai descobrir que os olhares são muito mais tranquilos por lá do que por aqui (incrível essa questão do respeito!).

Aos curiosos, têm as bizarrices do ping pong show (sobre isso nem vou comentar)! Não adianta perguntar! Mas é um show em que as tailandesas jogam ping pong e arremessam objetos sem as mãos (usem a imaginação).

AH!!! Mas também é o lugar das festas de rua, dos bares e das bebedeiras. Vish, se a Khaosan Rd. falasse (ainda bem que não fala)! Lá, você literalmente vai se sentir um gringo. É uma rua enlouquecida, com musica alta, bebida de todos os tipos, várias barraquinhas e, muita, muita gente. Esse é o lugar para tomar aquela cervejinha gelada e trincando!

Khaossan Rd.

E, depois de beber muito  e tomar coragem, você poderá até enfrentar as comidas exóticas: escorpiões, aranhas e bigatas. Eu ainda filmei isso! Ai gente! E, obviamente, descobri na sequência que eles realmente não têm gosto! São super crocantes, prepare-se para ficar cuspindo pedacinhos das perninhas  pelo resto da noite. Vai tentar?

Khao San Rd.

Cada um tem os seus meios de sobreviver, seja vendendo frutas na rua, vendendo comida, oferecendo serviços. Entre uma rua e outra, você acaba com estomago embrulhado… os cheiros! É  cheiro de fritura que vem das tendinhas de comida, cheiro de óleo que já foi esquentado  e requentado por diversas vezes, o cheiro que sobe por entre as casas e se impregna no seu nariz. Meu Deus, estejam realmente preparados para os cheiros.

Você poderá ver vários pontos não tão turísticos assim que te aproximará da realidade do povo e passar uma tarde pelo China Town te mostra bastante isso. Experimente fugir da parte turística e caminhar por entre as ruelas escuras e sem ventilação. Sinta o odor nem um pouco agradável que têm essas ruelas e presencie o dia a dia daqueles chineses que vivem apinhados, em locais imundos e fedorentos. É você sentir piedade e indignação, é sentir aquela mistura de cheiro de mijo de rato, mofo e comida (escrevi mijo para ser agressiva mesmo!).

Ruelas do China Town – Bangkok

Por falar em ratos… esteja consciente que você verá o tempo inteiro esses bichinhos tão adoráveis! Eles são imensos e em muitos! Muitos mesmo!

Você poderá andar pelos barcos no mercado flutuante,  que fica fora da cidade.  Os chineses fugindo da guerra, vieram à Thai formar o seu novo lar e aí, construíram todos os canais, isso mesmo! Não são naturais e sim, artificiais! Levaram quase 30 anos para concluir a obra e já existe há mais de 100 anos.

floating market

O passeio é bem interessante e além do circuito do mercado, você conhece os canais da região e as casas que ficam em torno. O mercado é uma loucura, cada vendedor que passa pelo seu barco tenta te vender alguma coisa e, apesar de ser barato, os preços das mercadorias são mais altos que os praticados em outros lugares. Negocie!

Além disso,  muitos dos barquinhos passam vendendo comida,  você  tem várias opções de milho cozido à Pad Thai, E o coco deles é maravilhoso. Tanto a fruta, o suco ou o sorvete que eles fazem com a massa. Experimente!

Aproveite para comprar bugigangas: garanta o seu chapéu de chinês e eu até tire foto com uma cobra, bem turistão mesmo!

Mercado Flutuante de Damnoen Saduak

Ou ainda, andae nos barcos de linha no principal rio da cidade e seus afluentes,Rio Chao Phraya. Você irá conhecer uma Bangkok cheia de vilas flutuantes, não tem nem asfalto e as pessoas vivem muitas vezes da pesca do próprio rio.

Vilas Flutuantes

Que tal simplesmente relaxar ao lado do Rio Chao Phraya durante a noite em um dos hotéis river side? Curtir a visão dos arranha-céus, ver os barcos passando com musica e cheio de luzes, iluminando todo o ambiente quando passam?

Rio Chao Phraya. Hotel Ibis Riverside

Também dá para visitar os shoppings, mercadinhos e a feira de final de semana e comprar seus souvenires e sarongs, aquelas calças típicas tailandesas. Comprar prata por que é baratinho mesmo. E dá para se decepcionar com as roupas também! Sim, pelo menos nesses lugares, as roupas são muito pequenas. Você só sairá de lá feliz se for magrinho e pequenininho, caso contrário, não vai rolar!

E, obviamente, não poderia faltar a Tuk Tuk ride! A loucura do transito do centro, absurdamente caótico, buzinas para todos os lados e os motoristas que dirigem como se tivessem indo levar a mãe para o hospital.  Um formigueiro humano!

 

E aí? Gostou das dicas e conseguiu entender um pouquinho sobre Bangkok? Chega junto comigo, tenho o roteiro de Bangkok falando dos passeios, onde ficar, o que fazer e o que não pode faltar na mala!

CONFIRA TAMBÉM:

Sudeste Asiático – quais países visitar?

O que esperar do Camboja – Siem Reap

Tudo sobre Ubud, Bali. Roteiros e Dicas.

A Ubud de Comer, Rezar e Amar. O que esperar?

16 lugares que você precisa conhecer em Bali, Indonésia.

Gili Trawangan – um pedacinho paradisíaco na Indonésia

Libriana, concursada e maluca por viagens! Ama sua mochila e não dispensa um carimbo no passaporte! Meta de vida é dar a volta ao mundo. Quer estar em cada pedacinho dele. Trintona, não pensa em casar e ter filhos. Só pensa em viajar! Gosta de gente e não dispensa uma boa festa. Cômica ,falante e muito direta! Quer incentivar as pessoas a tomarem coragem e meterem a cara nesse mundão! Afinal, a vida está lá fora! BORA! @aninha_rnct