Turismo

Machu Picchu: a Cidade Perdida dos Incas. Como chegar? Dicas e Gastos.

Ah! A cidade perdida dos Incas! Uma das Sete Maravilhas Modernas e Patrimônio Mundial da Unesco, Machu Picchu encanta os olhos de seus visitantes e arrepia com suas paisagens fantásticas! Essa parada está na “lista dos lugares para se visitar antes de morrer”! Vem comigo, pegar as dicas de como chegar a esse paraíso em ruínas no Vale do Urubamba! Por detrás de cada parede desse lugar, tem muita, mas muita história para contar!

Machu Picchu, Peru.

Em meio à floresta, no topo da uma montanha e a 2450 m de altura, encontra-se  a famosa cidade perdida dos Incas. Ficou há tanto escondida por entre árvores e foi redescoberta apenas a pouco mais de 100 anos.

Segundo contam os peruanos, M.P. foi reencontrada por um menino de 10 anos que habitava uma vila local, no próprio vale. Quem levou a fama foi o antropólogo norte americano, Hiram Bingham, fazendo escambo por balinhas! Isso mesmo! Bingham ofereceu doces em favor da localização da cidade perdida e ficou conhecido mundialmente por ser o “descobridor” de Machu Picchu. Já o menininho peruano, qual o nome mesmo? Nem se fala nisso.

Livro sobre a História de Machu Picchu, por Hiram Bingham. Vale muito a pena pesquisar sobre lá antes de ir!

A paz desse lugar é indescritível! Você sairá daqui com a alma leve e as energias renovadas!

COMO CHEGAR À MACHU PICCHU?

Olha, a logística para chegar lá não é das mais fáceis, não! Mas, apesar da dificuldade, o resultado final é compensador! Você vai à Machu Picchu, baby!

O primeiro passo é chegar até Águas Calientes e de lá, tomar o ônibus que faz todo percurso de subida até o topo da montanha onde o parque está, ou fazer a Trilha dos Incas a pé (aos aventureiros!).

Saindo de Cusco:

A jornada começa bem, mas bem cedinho mesmo! Já se programe para acordar por volta das 3:00 h da manhã e enfrentar quase três horas de viagem de trem até Águas Calientes!

A operadora de trens chama-se Inca Rail,  trabalha com uma única saída ao dia, às 4:50 am. O preço varia de acordo com o conforto do vagão, começando por U$S 130,00 (ida e volta), com o lanchinho incluído. Confira mais em: https://incarail.com/pt/

Inca Rail to Machu Picchu, paisagens vistas da janela do trem.

Saindo de Águas Calientes: 

Águas Calientes fica aos pés de Machu Picchu, muitos viajantes optam por dormir aqui e partir logo cedo ao parque. Nas primeiras horas do dia, o lugar fica mais vazio, visto que os trens ainda não chegaram despejando um turbilhão de turistas curiosos.

Imagine o nascer do sol nesse lugar! Vale a pena pensar!

Monumento Inca, Águas Calientes, Peru. Caminho entre a estação de trem e o ônibus de M.P.

DICA: prepare os bolsos! Os preços da cidade são salgadíssimos! Sim! Um pastelzinho de rua, desses bem friturão, sai por quase R$ 20,00. Águas Calientes vive do turismo de Machu Picchu e eles, realmente, exploram BEM isso!

Outras opções:

Saindo de Ollantaytambo: Essa vila fica no meio do caminho entre Cusco e Águas Calientes. Você pode pegar um ônibus no primeiro trecho, a distância é de 96 km. E depois, pegar um trem de Ollantaytambo à Águas Calientes, a viagem tem aproximadamente 2 h de duração.O valor é de U$S 100,oo o ticket.

Ollantaytambo, Peru. Eu não encarei os degraus para chegar ao templo, fiquei aqui embaixo, toda plena!

Aproveite para conhecer a vila e o Templo do Deus Sol! Leia mais: https://dcpm.com.br/vale-sagrado-dos-incas-as-maravilhas-do-peru/.

DICA: Pense em comprar o pacote de viagem combo: Vale Sagrado dos Incas + Machu Picchu.  Assim, você já se hospeda por aqui mesmo!

Saindo da Bolívia: é possível ir à Machu Picchu pelo famoso Trem da Morte. Esse roteiro é comum entre mochileiros, mas são necessários vários dias para percorrer todo esse percurso.

Tem muita gente entrando no Peru pelo Acre, que toma mais dias no seu roteiro, mas deixa a viagem um pouco mais em conta.

DE ÁGUAS CALIENTES À MACHU PICCHU:

Não basta chegar em Águas Calientes, temos que ir ao parque ainda! E como se dá o acesso?

Micro ônibus: esse é o único meio de tração para chegar a M.P. O valor da passagem é de U$S 12,00 (ida e volta). O percurso até o topo é de 20 min, o caminho é estreito e cheio de curvas. Se você se sentar à janela ao lado do vale, experimente olhar para baixo! É assustador e você vai pensar “Meu Jesus, onde eu estava com a cabeça quando resolvi vir para cá!?”… A impressão é que não cabe uma agulha entre o pneu no asfalto e o mundo lá embaixo. Você vai exercitar a sua fé ou se tornar religioso nesse momento! Rsrsrs!

O lugar onde se toma o ônibus que sobe a M.P. é bem pertinho da estação, siga o fluxo dos turistas ou pergunte aos locais, ao descer do trem ! Não tem erro!

Trilha: Aos aventureiros de plantão, com bastante resistência física, é dada a opção de fazer o caminho até o parque a pé! Para fazer a Trilha Inca é exigida reserva prévia e ter no mínimo mais um acompanhante.

Aliás, existem diversas trilhas! Confira aqui:

COMPRANDO OS INGRESSOS PARA MACHU PICCHU:

Bem vindos à saga: “tentando comprar os ingressos de Machu Picchu”! Sim! É uma surra! Aqui surgem diversas perguntas: compro antes? Contrato um tour? Compro na hora? Vamos lá, vai dar tudo certo… com muita paciência, obviamente!

Machu Picchu tem carimbo! DICA: LEVE SEU PASSAPORTE! Marque suas páginas com mais essa lembrança!

Os ingressos de entrada são com datas marcadas e com número controlado de visitantes. Então, DICA: se você for em alta temporada, é SUPER indicado comprar antes os tickets! O período mais competido para visitar M.P. é de Maio à Setembro. Não corra o risco de ficar de fora! “Deuzolivre”!

DICA: Evite visitar a cidade no verão, de Novembro à Março, chove muito na região e você corre o risco de não enxergar as montanhas por causa do nevoeiro ou não aproveitar o passeio, que é todo a céu aberto. O parque pode, inclusive, fechar por causa do mau tempo.

PASSEIOS NO PARQUE:

Machu Picchu: O acesso fica restrito ao parque arqueológico. ( aprox. U$S 70,00)

Machu Picchu + Huayna Picchu: parque arqueológico + trilha na montanha Huayna Picchu.

Machu Picchu + Montaña: parque arqueológico + trilha nível hard, à montanha em frente a M.P.

Cidade de Machu Pichu, vista de trás.

PREÇOS DO INGRESSO 

Os preços? HA-HA-HA! Então, lembra da saga? É complicado saber ao certo quais os valores cobrados para ir à M.P. O site oficial está sempre fora do ar e portanto, as informações são basicamente dos blogs e das cias de viagem (que geralmente incluem taxas sobre o preço do ticket).

Os preços variam demais! Sim! É uma pena falar isso, mas é uma zona! O mesmo pacote ou até o preço do ticket variam de site para site. Pesquise muito! Eu acho razoável, U$s 70,00 para a visita ao sítio arqueológico.

Para o pagamento antecipado do ticket, escolha um site de confiança. Existem muitos golpes na internet de vendas dos ingressos de lá. Eu aconselho pagar um pouco mais caro e garantir a visita. Acreditem, vai sair bem mais caro chegar até lá e não conseguir entrar! Eu indico  o https://www.getyourguide.com.br/ ou o site da decolar.

Para pagamento em cartão de crédito, se o valor estiver em dólar, o plástico precisa estar habilitado para uso no exterior. DICA: Para compra em soles (moeda oficial peruana), além de habilitado, o cartão deve ter a bandeira “Visa Plus” (verifique se no verso do cartão tem a logo). Somente são aceitos pagamentos na bandeira Visa!

Outra DICA: para clientes do Banco do Brasil que desejam gastar em soles, tem mais uma exigência: estar incluído na lista de exceção do banco. Isso mesmo! Além de habilitado, ter bandeira Visa e Visa Plus, você deve solicitar ao seu gerente a inclusão na lista para compras no Peru. Caso contrário, não vai conseguir usá-lo

CONTRATANDO O PACOTE COMPLETO:

Para aqueles que preferem a tranquilidade de contratar um tour prontinho, aqui vão as minhas experiências: eu, particularmente, contratei um pacote.

Primeiro: eu não quis me preocupar com a compra de todos esses tickets  avulsos, tudo tem horário! Fiquei com medo de me atrasar em algum trecho, aí já viu!

Segundo: acho impensável fazer o passeio em M.P. sem um guia para explicar todos os segredos escondidos por de trás daquelas paredes. A cidade perdida tem muita história para contar! É quase um “assassinato” visitá-la sem entendê-la!

Leia aqui um sobre um pedacinho da história de Machu Picchu:

DICA: não se desespere se você comprou todos os bilhetes avulsos, na entrada de M.P. têm muuuitos guias esperando por você! É só contratá-los, lá mesmo!

Você pode contratar previamente o pacote do passeio pela internet e pelas agências de viagem. Mas, já aviso: prepare o bolso porque os preços ficam salgados e mais caros que os contratados lá em Cusco. Os preços variam de R$ 1.400,00 até R$ 2.300,00, ou mais! (sendo exatamente o mesmo passeio!). Pesquise!

Ou, você pode contratar no Peru, mesmo. Ao redor da Plaza de Armas em Cusco, existem INÚMERAS agências que vendem o pacote.  Novamente eu reforço a importância de uma cia confiável! Eu fui em Maio, optei por comprar o tour guiado lá em Cusco mesmo, no meu hotel (fiz isso pela segurança, o hotel não me colocaria em uma furada, não é mesmo?).Paguei mais caro por isso, obviamente!

Eu saí de Cusco e paguei U$S 280,00. Estavam incluídos no pacote: os ingressos do parque (apenas o passeio de M.P, sem as montanhas), os bilhetes do trem, os bilhetes do ônibus, o guia que falava em inglês (mas tem espanhol também) e o táxi de ida e volta à estação de Cusco.

DICA: Se você for conhecer o Vale Sagrado dos Incas, deixe M.P por último! Curta as ruínas menores e só depois vá à “cereja do bolo!”. Vai por mim!

DICA: para os que curtem uma vibe bem natureza e gostam dos rolês alternativos, existem diversas trilhas que podem ser feitas no parque e com formas alternativas de chegar até ele! Confira aqui o post da Thalita, nossa editora que foi até la: Caminho alternativo para Machu Picchu: Trilha Salkantay

DICAS QUENTÍSSIMAS PARA O PARQUE:

1) Leve água e uns snacks. O restaurante fica do lado de fora  das catracas e isso significa que dentro do parque não há “lojinhas”. O caminho é cansativo e você vai precisar se hidratar.

2) Faça xixi antes de começar o passeio! Sim! Os banheiros ficam todos na entrada do parque! Então, se você sentir vontade no meio do caminho, terá que voltar.

3) Roupas leves e sapatos confortáveis! Dê preferência às botininhas de escalada, principalmente, se você for se aventurar pelas trilhas.

4) Protetor solar, boné ou chapéu, óculos de sol e um casaquinho também! O sol realmente queima e muitas vezes não temos onde nos abrigar. Após o entardecer, esfria um pouco!

5) Repelente. SIM! O repelente é importantíssimo! Embaixo, na entrada do parque tem muito mosquitinho e, enquanto você ficar na fila quilométrica para pegar o ônibus, eles vão tentar sugar a sua alma!

6) O parque conta com um restaurante, os preços são salgados. Leve um lanchinho, se preferir! Mesmo porque, você pode lanchar lá dentro do parque mesmo, sentado no gramadão e tendo a visão chatíssima das montanhas! Ou coma em Águas Calientes, enquanto aguarda o seu trem (também não é a opção mais econômica mas a variedade de restaurantes é maior).

7) Na entrada do parque, ao lado direito, tem uma trilha pequenininha que pode ser feita por entre as florestas. Repelente, novamente!

8) Leve seu passaporte! Se você, assim como eu, ama um carimbo no passaporte, leve o seu! Machu Picchu tem seu carimbo próprio! Guarde mais essa lembrança!

Agora que estamos informados sobre como funciona o passeio até a cidade perdida, vamos saber um pouquinho sobre ela! Vem comigo!

Vem conhecer Machu Picchu, a Cidade Perdida dos Incas!

Vale Sagrado dos Incas: as maravilhas do Peru!

Caminho alternativo para Machu Picchu: Trilha Salkantay

 

Libriana, concursada e maluca por viagens! Ama sua mochila e não dispensa um carimbo no passaporte! Meta de vida é dar a volta ao mundo. Quer estar em cada pedacinho dele. Trintona, não pensa em casar e ter filhos. Só pensa em viajar! Gosta de gente e não dispensa uma boa festa. Cômica ,falante e muito direta! Quer incentivar as pessoas a tomarem coragem e meterem a cara nesse mundão! Afinal, a vida está lá fora! BORA! @aninha_rnct