Turismo

La Paz, Copacabana & Norte da Ilha do Sol – dicas de passeios para 4 dias pela Bolívia

Mochileiro que se preze já passou alguns dias pela bela, caótica e encantadora La Paz! Se você ainda não foi, vem cá saber como aproveitar uma rápida estadia por uma das cidades mais mochileiras da América do Sul!! E se você já foi, vem matar a saudade!
La Paz, não é a capital da Bolívia, mas é a sede do Governo boliviano, por isso, muitas vezes a gente se confunde… Então viajantes! A capital da Bolívia, na verdade, é Sucre! Fica aí a dica para você não errar mais!
Em La Paz, diariamente, desembarcam mochileiros de todo o mundo! A Bolívia é um daqueles destinos que nos surpreendem pela beleza natural, afinal, lá do alto do avião nós piramos na cordilheira dos Andes, lá está o maior deserto de sal do mundo (Uyuni), o Lago Titica, que em volume de água, é o maior lago da América do Sul! A rica cultura indígena e ancestral dos povos andinos é outro fator que nos encanta na Bolívia! Além de claro, o baixo custo de viajar pelo país, pois apesar dos pesares, o nosso surrado “realzinho” ainda possui leve vantagem frente à moeda boliviana, o que nos permite uma excelente trip “low cost”! Em abril/2017, o câmbio estava R$ 1,00 = 2,10 bol.
São muitas as possibilidades do que se fazer em La Paz… Muitos mochileiros marcam La Paz como a cidade-base para as aventuras pelo país!
O roteiro tem uma proposta leve, e até bate-volta à Isla del Sol, no Lago Titicaca, na cidade de Copacabana! A depender de sua rota de chegada, é totalmente possível você fazer o inverso ou mesmo mudar as propostas das dicas aqui de forma a montar seu roteiro e aproveitar ao máximo seu tempo por La Paz!

1º Dia – Chegada à La Paz

Chegamos em La Paz por volta das 13h, e é possível negociar bons preços do táxi do lado de fora do aeroporto. Os taxistas bolivianos são flexíveis na negociação, mas nunca feche com o primeiro…srs Fechamos por Bol. 60,00 bolivianos, a corrida do aeroporto até a parte do centro da cidade. Estávamos em 4 viajantes, o que ficou ainda mais econômico, no custo individual. Então meu povo, negociar sempre, antes de entrar no táxi!
Seguimos para o Hostel Muzungu, na parte central de La Paz, bem nas ruas dos comércios, na Calle Illampu, esquina Santa Cruz A 441, La Paz, La Paz, 9999. A diária estava promocional no quarto compartilhado misto de 5 camas, ficando Bol. 48,00/dia
É uma excelente localização, principalmente para os deslocamentos a pé, em busca de fechar os passeios por La Paz, porque nessa região existem muitos hostels, hotéis, agências diversas e restaurantes, museus, praças, mercados com artesanatos e outras atratividades.
Durante o dia, a pedida para essa rua está nas possibilidades de compras de equipamentos como mochilas, botas para trekking, roupas para o frio, acessórios para camping e tudo mais que você precisa e vê aqui no Brasil com preços bastante salgados! Na Bolívia para algumas lojas a gente classifica as marcas de “NorthFake”, pois existem marcas similares com excelente material, tenho mochilas compradas aqui desde 2010 e ainda não me deixaram na mão!
Um alerta é sobre a segurança pela parte da noite. Evite andar sozinho pelas ruas pela parte da noite, assim como fazemos em quase todos os lugares aqui no Brasil, por exemplo… Então não deem chances ao azar, ok?!
Então, caso esteja hospedado pela região central, neste 1ª dia, a dicas são:

Entrada para Museu da Coca e Restaurante 1700 – Calle Linares

– Mercado das Bruxas, espalhado ao longo das ruelas centrais, seguindo da Calle Santa Cruz, você “cairá” nele… Na Calle das Brujas O mercado é uma delícia para olhos, pela diversidade do artesanato andino, das pinturas dos artistas, e também, surpreende pelos bizarros animais empalhados! Vá e não se arrependerá, muito além de turistas, os bolivianos o frequentam diariamente!
– Museu da Coca: seguindo pelas ruelas, você também cairá na Calle Linares, e logo encontrará o Museu da Coca! Se é sua 1ª vez em La Paz, recomendo a visita, você entenderá porque a Coca é tão importante para os povos andinos, e talvez, desmistificar esse assunto da coca…
– Plaza da Igreja São Francisco: saindo do museu da coca e indo em direção à Igreja São Francisco você encontrará muitos artistas de rua em frente à igreja fazendo apresentações, comidas típicas para vender, e muita gente só de bobeira “vendo a banda passar” na Plaza São Francisco!
Outra dica bacanérrima, descoberta em outras idas à La Paz, é o Restaurante 1.700, que fica no mesmo prédio do Museu da Coca! O Restaurante guarda a decoração como seu melhor atrativo! É um restaurante de comida tipicamente boliviana, mas ele fecha a cozinha cedo, porém mesmo que você não desfrute da alimentação, vai ficar intrigado com os móveis centenários do local. Você parece que entrou em dos castelos dos livros eróticos de Anne Rice, na coleção da Bela Adormecida!

Detalhes dos móveis do Restaurante 1700

– Zona Sul: Dica para a noitada em La Paz!! O The Factory Pub, lembra muito o Outback, bom para comer petiscos, hambúrguer e tomar uma paceña regada a muito papo e paqueras! A Zona Sul tem se destacado como um local muito bacana de novos barzinhos e baladas em La Paz!

2º Dia – Ilha do Sol – Lado Norte

Lado Norte – Ilha do Sol

Bate-volta à Ilha do Sol, no Lago Titicaca, na cidade de Copacabana. É possível fechar o passeio nas agências que ficam pela região central, mas é ainda melhor, conseguir um preço mais camarada, se você fechar lá na Rodoviária da cidade, que fica próximo a Igreja São Francisco.
O bus de La Paz até Copacabana custou Bol. 50,00, e sai às 04h30min da madrugada, já que tem que voltar no mesmo dia ainda! O tempo de La Paz até Copacabana dura cerca de 3h, mas se você estiver indo num dia de feriado, devido o trânsito cheio dura cerca de 5h!
Chegando em Copacabana, pega-se um barco rumo à parte Norte da Ilha. O trajeto leva pouco mais de 1 hora, ao preço de Bol. 20,00. Quando chega um bus na cidade, os operadores das empresas de turismo em Copacabana já abordam para vender o ticket do barco, embora seja possível já fechar todo o passeio em La Paz, incluindo esse valor do ticket, mas preferimos fechar o barco quando chegássemos em Copacabana.
Quando você chega ao lado norte da Ilha do Sol é cobrado Bol. 10,00 de entrada, e lá têm-se 2h para aproveitar o local, e se decidir passear mais pela Ilha, esse tempo diminui mais ainda!

Lado Norte da Ilha do Sol – Vista do restaurante

O lado ruim dos passeios bate-volta é a “pressa” e o rápido ritmo dado aos passeios! Escolhemos o primeiro restaurante com vista para o lago e decidimos apreciar o local que tem uma vista de tirar o fôlego!
Depois do almoço, mais uma parada, as ruínas do Complexo Chinkana e depois regresso à Copacabana!
Há muitas controvérsias sobre passeios bate-volta, mas não se pode dizer que não vale a pena! A ilha é linda! A calmaria e tranquilidade transmitida neste local, valem todo o esforço! As boas memórias e aquele gosto de quero voltar, com certeza ficam gravados em nós!

Lado Norte – Ilha do Sol
Mochileiras

Como o bus de volta à La Paz sai apenas as 18h, estávamos de volta à Copacabana por volta 16h30min, então nada melhor que apreciar o movimento mochileiro daquela rua de acesso aos barcos, regada uma cerveja boliviana e papo viajante entre amigos!
Copacabana é muito conhecida na Bolívia, devido a festividade religiosa da Virgem de Copacabana que acontece em fevereiro, onde muitos peregrinos de toda a Bolívia “invadem” a cidade para as festividades religiosas.

3º Dia – City Tour Zona Sul + Vale da Lua

Bus Turístico – Parada em frente ao Vale da Lua

Para o terceiro dia, a dica é pegar o bus turístico e conhecer mais da cidade de La Paz, a pedida foi conhecer a parte da Zona Sul com parada no Vale da Lua, aí o turista pode optar por entrar ou não já que a entrada ao Vale da Lua é paga a parte do bus.
O passeio de Bus Turístico custa Bol. 70,00 e a entrada no Vale da Lua Bol. 15,00. A parada no Vale da Lua vale muito a pena! O solo diferenciado desse lugar tem esse nome de vale da Lua por lembrar as formações do solo lunar. O vale é imenso, e a paisagem já sofre com a urbanização da cidade que o circunda.

Vale da Lua, La Paz

Na sequência, ainda na Zona Sul, é possível seguir para o megacenter, um shopping de La Paz, e conhecer o Pub irlandês, Dubliner, em plena hora do almoço! Por quê não?! Ssrsr Dá tranquilamente para passar a tarde por aqui, servindo-se de petiscos, cervejas e boas risadas!

Dubliner Pub – Megacenter, Zona Sul – La Paz

Para terminar o dia mais passeios pelo Mercado das Bruxas e aproveitar para comprar os souvenires.
Pela noite recomendo os restaurantes na Avenida 20 de outubro, em Sopocachi, e arredores, há muitas opções e pode-se ter boas surpresas! A dica é o Restaurante Swissfondue que fica na Av. 20 de Oct. 2355 | Sopocachi, La Paz, Bolívia La Paz! Você pode considerar conhecer esse local para aquela noite da riqueza, sabe?! Você não errará se escolher jantar nesse restaurante também! Ótimo cardápio com fondues e toda sorte de acompanhamento, excelente atendimento e boa carta de vinhos! Os preços são um pouco acima da média, mas você não se arrependerá e aproveitará cada momento! Garantirá mais uma deliciosa experiência gastronômica na Bolívia.

Restaurante Swissfondue

Para finalizar com chave de ouro há alguns passos dali está o Pub Diesel Nacional, que em sua parte interna você pensa estar num submarino! Local bem conceitual e merece a visita com certeza!

4º Dia – Walking Tour – Conhecendo La Paz a pé + Teleférico

Vista do Teleférico – La Paz

A partir da Plaza Murillo é possível chegar até o Mirador Killi Killi e no começo da tarde a dica é conhecer a Feira de El Alto que acontece todos os domingos!
Na Plaza Murilo fica o palácio do governo boliviano, e uma coisa que talvez poucos viajantes notem é o relógio no alto do prédio… o sentido do relógio é anti-horário! Desde 2014, a Bolívia resolveu mudar como uma forma de resgatar sua identidade originária… Veja mais detalhes aqui https://veja.abril.com.br/mundo/bolivia-inverte-relogios-como-simbolo-de-identidade/

Relógio em sentido anti-horário

Na Plaza também tem uma placa do Marco 0, e rende bons cliques!
Depois seguimos a pé até o Mirador Killi Killi, aqui você precisa parar e admirar! Lá de cima você aprecia toda a cidade! Essa caminhada pelas ruas de La Paz rende encontros com muitas artes de rua! Então viajante, ande devagar, aprecie os grafites, as portas e fachadas das casas, e assim, se permita vivenciar mais a Bolívia!

Plaza Murillo

Para ir até a Feira de El Alto, usa-se o teleférico, ele fica na última estação da linha azul! Aqui já é um passeio a parte, você admira toda a cidade lá do alto!

Vista do Mirador Killi Killi

A Feira é totalmente voltada para os bolivianos, mas os turistas já se fazem presentes! É vendido de tudo que você possa imaginar! A feira é enorme!! Se você é curioso, reserve toda a tarde para passear por lá! Perambule pelas barracas e garanta boas compras sim! Artigos de prataria lindos e a um preço totalmente relevante! Mas também ouvimos que alguns artigos podem até ser fruto de roubos! Mas não vimos nenhum movimento suspeito por lá, ou mesmo presença de policiamento, o comércio fluía normalmente…srsr

Muvuca da Feira de El Alto, La Paz

Nesse quesito compras na Bolívia, é engraçado porque os bolivianos não curtem o nosso jeito brasileiro de comprar, porque nós precisamos pegar nos artigos e ele não gostam disso, mas no final dá tudo certo!

Diversidade da Feira de El Alto, La Paz

E é isso galera! Esse é um roteiro leve, com exceção do bate-volta à Ilha do Sol…srsr mas vejam que ainda são possíveis inúmeros passeios em La Paz e a partir daqui, mas isso já é assunto para outro post! srsr
Até a próxima!

Acreana, funcionária pública, professora, viciada em viagens, e agora, de carona pelo mundo :)