Intercâmbio passo-a-passo: do planejamento à volta para casa

1. Defina seu objetivo 

É importante ter bem claro em mente o que se espera do intercâmbio e levar isso em conta antes mesmo de se decidir o destino dessa experiência. Alguns dos objetivos mais comuns são vivenciar uma nova cultura, aprimorar um idioma, passar um período sabático ou estudar e trabalhar, mas a vantagem do intercâmbio é ser totalmente personalizável: você pode ter sua própria meta e, a partir dela, começar a montar o planejamento do seu programa.

2. Estipule o período da viagem

Definido o objetivo, é preciso parar para analisar a duração do intercâmbio. Se seu objetivo for, por exemplo, sair do zero e adquirir fluência numa língua, de pouco adiantará passar algumas semanas no exterior. Dois pontos importantíssimos a serem levados em consideração aqui:

  •   Quanto tempo eu tenho disponível?

Infelizmente, nem todo mundo pode se dar ao luxo de tirar um tempo mais longo para viajar, seja por motivos de trabalho ou financeiro. Se esse for seu caso, estipule o(s) mês(es) que terá disponível, sempre adequando esse tempo com seu objetivo.

  • Em que época do ano pretendo ir?

Se seus meses disponíveis são novembro e dezembro e você quer ver neve, hora de procurar países em que o inverno coincida com esse período. Nessa hora, nada melhor que o bom e velho Google para sugerir destinos! Também pode acontecer de você já ter um destino em mente e os meses flexíveis: nesse caso, hora de descobrir qual a melhor época. Cabe ressaltar, aqui, que “melhor” é um conceito bem subjetivo: eu fujo de frio como o diabo da cruz, mas muita gente é louca para ver neve de perto! De novo: alinhe-se com seu objetivo inicial. Afinal, não adianta nada se preparar para esquiar se sua viagem for programada para o verão, né?

3. Defina o destino.

Com objetivos e período bem esclarecidos, você já deve ter algumas ideias de destino em mente. Se não, essa é a hora de defini-lo. A essa altura, as coisas começam a ficar mais claras. Por exemplo:

Quero melhorar meu inglês durante 9 meses na Nova Zelândia.

Quero fazer um curso de culinária durante as férias na Itália.

Quero aliar estudo e trabalho durante um ano nos E.U.A.

4. Orce! 

Aqui a coisa começa a tomar ares mais práticos. Hora de fazer orçamentos e cotações em diversas agências e/ou escolas, para quem arrisca a ir por conta. A dica é: pesquise, pesquise, pesquise! Pergunte muito também, pois vários fatores influenciam no valor final: período, acomodação, carga horária. Coloque tudo no papel, aproveite para pechinchar, mas não se deixe levar só pelo preço: confiança na agência é essencial, pois em qualquer imprevisto, será ela que lhe dará suporte. (Em breve, relato de como eu passei um perrengue grande no meu!)

Algumas agências conhecidas:

CI

Experimento

IE

STB

World Study

  5. Planeje-se financeiramente 

Com o orçamento em mãos, hora de juntar a grana, se for o caso. Como um programa de intercâmbio geralmente é um investimento alto, quanto mais tempo você tiver até a data de embarque, melhor. Assim você pode definir quanto economizará por mês.

 6. Resolva a parte burocrática 

Você seguiu todos os passos e fechou com a agência que mais lhe passou credibilidade. Então agora é só esperar a data, certo? Errado. Essa é a hora de encaminhar passaporte, caso ainda não tenha, e visto; se o país exigir. O passaporte pode ser solicitado no site da Polícia Federal, clicando aqui. Também é possível que alguns países recomendem ou exijam vacinação específica. Você pode conferir as exigências para o seu destino no site da Anvisa. Aaaah, e não esqueça do seguro-saúde, por favor!

7. Viaje antes da viagem 

Essa parte é onde os nervos começam a dar as caras, mas também é uma das mais divertidas. Informe-se ao máximo sobre os lugares que irá visitar, passeios que valem a pena ser feitos, restaurantes, pontos turísticos. Estude sobre a história do lugar. Use a internet a seu favor e descubra ao máximo do seu destino mesmo antes de conhecê-lo.

 

 8. Embarque. 

Aqui não tem muito o que falar, né? Viva seu sonho ao máximo! Dos conselhos que me deram, um dos mais valiosos foi: aproveite cada minuto e tente desconectar das redes sociais, seus amigos vão estar lá quando você voltar.

 

 9. Sinta saudade… E planeje o próximo! 

Depois de voltar, com certeza as lembranças vão ficar eternizadas por meio de muitas fotografias e vivências. O intercâmbio foi sem dúvida o melhor investimento que eu pude fazer em mim. E, uma vez que você vai… As portas do mundo estão abertas. Começar a viajar dessa forma é um caminho sem volta.

Lore Poleto

Lore, 25 anos, gaúcha. Professora por profissão e viajante por paixão. Ama línguas, arte, história e culturas.