Agência DCPM
21 de agosto de 2018

As melhores trilhas do Brasil #9 – Escalavrado

A trilha para o Escalavrado está localizada dentro do PARNASO, Parque Nacional da Serra dos Órgãos, que fica na cidade de Teresópolis no Estado do Rio de Janeiro, e é uma das mais desafiadoras do País. Não há necessidade de comprar ingressos ou reservar dias e horários, pois não há controle de visitantes.

Observação: Apesar de não haver controle de visitantes, por medida de registro e segurança, é necessário preencher o “Termo de conhecimento de riscos e normas” e entregar na sede do PARNASO em Guapimirim. O termo pode ser acessado nesse link

A trilha leva cerca de 3 horas até o cume da montanha chamada Escalavrado, que possui 1420 metros de altura. Essa aventura somente deve ser feita na companhia de guia autorizado, com equipamentos adequados e por pessoas que já possuam pelo menos alguma experiência em trilhas, além disso, ter um bom preparo físico é fundamental, pois é bem cansativa, difícil, perigosa e com muitos trechos em exposição. (Exposição significa estar exposto ao precipício, sem nenhum tipo de proteção). Se você tiver labirintite, vertigem ou medo de altura, não recomendamos essa aventura.

A trilha é no “dorso” da montanha. Vai encarar? (Foto: @graverrio)

A época indicada para subir o Escalavrado, é durante a temporada de montanha, que vai do mês de maio até setembro, pois nesse período a incidência de tempestades com raios é menor. Uma tempestade, além de molhar a terra e fazer lama, deixa as pedras da montanha mais lisas e escorregadias, o que pode aumentar o risco de acidentes. Tanto na subida, quanto na descida, grande parte dos trechos é feita em pedras com grande desnível. Além disso, uma tempestade com raios em uma montanha que tem muitos trechos totalmente expostos, torna a aventura muito mais perigosa. Se liga!

O que vestir?

A roupa para essa trilha deve focar na proteção dos joelhos, cotovelos e mãos, pois se trata de uma escalaminhada e, se você não tiver equilíbrio suficiente para superar determinados obstáculos, às vezes sua única alternativa será colocar os joelhos e cotovelos na pedra para conseguir prosseguir. As mãos também são exigidas o tempo todo, tanto na subida quanto na descida, para agarrar pedras, tufos de capim, galhos e raízes, sendo assim, vá vestido da seguinte forma:

  • Boné ou viseira e óculos escuros ( A exposição ao sol é grande na maior parte do tempo).
  • Blusa Dryfit de meia manga.
  • Blusa de manga comprida, de preferência com proteção UV ou
  • Fleece (casaco feito de tecido parecido com flanela, que age como isolante térmico, sendo leve e respirável).
  • Anorak (Apenas se estiver muito frio. Trata-se de uma espécie de jaqueta com gorro confeccionada com materiais espessos e resistentes. É uma vestimenta bastante utilizada pelos praticantes de esportes ao ar livre com a finalidade de proteger a parte superior do corpo contra o vento e muitas vezes também oferem proteção contra chuva e neve).
  • Luvas (Esse é o item mais indispensável dessa lista. Recomendo usar luvas o tempo todo, pois a escalaminhada exige que você use as mãos para agarrar obstáculos e prosseguir).
  • Calça de trekking ou legging (Não vá com calça nova, pois ela vai sair de lá muito ralada e até mesmo rasgada. Em certos pontos, não há outro jeito a não ser descer escorregando. Há pessoas que levam 2 calças, justamente para se uma delas rasgar, já estar com outra por baixo, pois as pedras são realmente de enorme abrasão. A calça servirá também como proteção contra a vegetação, que “corta” a pele).
  • Meias (para evitar bolhas nos pés).
  • Bota ou tênis de trilha (De preferência que esteja novo e com grande aderência, pois é necessário descer caminhando pelas pedras inclinadas, e até mesmo escorregando, em grande parte do tempo).

O que levar?

Trata-se de uma trilha bem difícil e que exige muito esforço físico, ou seja, você vai precisar de muita energia e hidratação, sendo assim, recomendamos que leve:

  • Mochila de ataque de no máximo 20L. (Evite carregar peso, pois a escalaminhada é bem dura e se a mochila for grande ou pesada, vai te cansar e atrapalhar bastante. Nessa trilha foi usada uma de 10 litros, que foi o suficiente).
  • Saco estanque (Em caso de chuva forte, ele evita que a água molhe seus documentos e dinheiro).
  • Capa de chuva (Pode ser descartável, pois é mais leve e compacta).
  • Lanterna de cabeça (Item indispensável, pois pode ser que você tenha que descer quando estiver escurecendo e essa trilha, no escuro, é impraticável).
  • Repelente, Merthiolate, Bandaid e comprimido para dor.
  • Filtro solar (muito filtro solar, pois a exposição ao sol é muito grande).
  • Lenços umedecidos (Prepare-se para se sujar).
  • Devem ser levados lanches leves como sanduíches, barras de cereal, snacks de nuts, biscoitos leves, banana, maçã, ovos, gel de carboidrato, bananada, amendoim, entre outros.  (você vai precisar de muita energia para a escalaminhada).
  • 1 litro de água e 1 garrafa de Gatorade. (Não há onde pegar água no caminho e, por causa do calor e do esforço físico, você com certeza vai consumir muito mais água que o normal).

A trilha

Para essa trilha, utilizamos como ponto de apoio o restaurante Paraíso da Serra, na Estrada Rio-Teresópolis, km 90, que é ponto de encontro para de escaladores e montanhistas, sendo possível deixar seu carro estacionado na parte de trás do restaurante.

A vista do restaurante, que já nos dá uma prévia da aventura que está por vir! (Foto: @linharesazevedo)

Saindo dali, caminhamos na estrada, para o lado esquerdo (sentido Rio de Janeiro), por cerca de 20 minutos, até a entrada da trilha, que não possui sinalização alguma, mas se pestar atenção, vai ver um muro branco, que pode ser utilizado como ponto de referência para o acesso.

O imponente Escalavrado! Da estrada já conseguimos avistar a montanha. Rindo, mas de nervoso! (Foto: @cristravels)

 

O início da trilha é pulando o muro branco. (Foto: @cristravels)

Após pular o muro branco, iniciamos a trilha já em forte aclive e, daí em diante, são poucos os trechos em que a trilha é plana. Começamos a subida por volta das 9h da manhã.


Veja mais posts sobre trilhas:

As melhores trilhas do Brasil #1 – Chapada Imperial – DF
As melhores trilhas do Brasil #2 – Pedra Bonita – RJ
As melhores trilhas do Brasil #3 – Lagoinha do Leste – SC
As melhores trilhas do Brasil #4 – São Thomé das Letras – MG
As melhores trilhas do Brasil #5 – A Pedra do Sino – RJ
As melhores trilhas do Brasil #6 – Pedra da Gávea – RJ
As melhores trilhas do Brasil #7 – Pico das Agulhas Negras
As melhores trilhas do Brasil #8 – A Pedra do Osso


Toca pra subir!! (Foto: @cristravels)

Em vários trechos, é realmente necessário que você conte com a ajuda dos seus companheiros de aventura ou do guia, pois há pontos nos quais eles terão que te apoiar para escalar, para passar de um lado para o outro sem cair ou para transpor grandes pedras. Nenhuma parte dessa trilha é fácil e vai ser dureza do início ao fim. É importante estar bem preparado fisicamente. Haja mãos e joelhos!

Olha só a pirombeira! (Foto: @cristravels)

Durante a trilha, você vai encontrar diversos mirantes de tirar o fôlego. Há muitos pontos onde você consegue avistar a estrada e os carros passando lá embaixo.Todo o cuidado com o equilíbrio é pouco!

Um dos belíssimos mirantes que você vai encontrar na trilha! (Foto: @linharesazevedo)

Depois dessa parte fazendo a escalaminhada, chegamos na base da crista, onde trilharemos subindo por enormes pedras lisas, ou então escalando por entre as fendas nas rochas. Para prosseguir com mais tranquilidade, recomendamos fortemente o uso de luvas, pois a pedra é bem abrasiva e machuca bastante a pele.

Em vários pontos, a trilha exige técnicas de escalada e é preciso agarrar em fendas na rocha com as mãos, enfiar os pés nas fendas e avançar devagar, com muito cuidado. Em outos lugares, as raízes das árvores e tufos de capim, serão seus grandes aliados, então estude bem o seu caminho a frente e onde você poderá fazer a pega para se equilibrar, antes de dar o próximo passo, pois assim você vai evitar ficar preso em algum lugar de onde não consiga mais descer ou subir.

Estude cada passo! Galhos, fendas, tocos de árvores e raízes são seus grandes aliados! (Foto: @linharesazevedo)

As pessoas menos experientes, acabam apoiando os joelhos e os cotovelos nas rochas, o que não é recomendável, pois machuca bastante, mas em certos casos é melhor fazer isso do que perder o equilíbrio e cair.

Prosseguimos então até encontrar a “crista” da montanha, que é uma parte belíssima, mas também muito perigosa. A base para se caminhar é realmente muito estreita, sendo assim, siga a trilha pela vegetação em sua lateral, pois é muito mais seguro. A parte de cima pode até ser acessada, mas recomendamos que não por muito tempo, pois a exposição é grande.

A parte mais perigosa da crista! A foto somente em fila! Rindo, mas de nervoso, parte 2 (Foto: @graverrio)

Os mais experientes até se arriscam a andar por ali sem usar as cordas, porém é extremamente arriscado.  Qualquer desequilíbrio nessa parte e você pode cair para um lado ou para o outro, direto no precipício. Mais uma vez, recomendamos que essa aventura seja realizada com acompanhamento de guias credenciados e com equipamentos adequados, tais como cordas, baudriers, mosquetões, rádio de comunicação para emergências, entre outros. Além disso, o grupo deve ser pequeno e com pelo menos dois staffs, um que guiará abrindo a trilha e outro que irá fechando a trilha, acompanhando e ajudando as pessoas que ficam por último.

A caminhada deve ser feita com muita atenção! (Foto: @cristravels)

Passando dessa parte mais estreita, há ainda outros dois pontos na crista em que é preciso o uso de cordas para dar a segurança necessária, pois trata-se de trechos com grande exposição.

Primeiro trecho de subida com corda. (foto: @graverrio)

Passando dali, em mais uns 30 minutos de trilha depois, finalmente chegamos no topo da montanha, onde há um platô com bastante espaço para lanchar e descansar. A vista do cume é espetacular e dá pra avistar várias outras belíssimas montanhas do parque, tais como o Dedo de Deus, a Cabeça de Peixe, o Garrafão, a Verruga do Frade, o Dedo de Nossa Senhora, dentre outras belíssimas formações.

O visual é de tirar o fôlego! Impressionante! Foto: @linharesazevedo

Assim como na maioria das montanhas que exigem um grande esforço para chegar ao topo. O Escalavrado também tem seu “Livro do Cume”. onde você poderá assinar e deixar o seu registro. É também muito interessante ler algumas páginas e se emocionar com estórias de conquista e superação.

O livro do cume (Foto: @linharesazevedo)

De lá do cume, vale muito a pena parar por alguns instantes para sentir o vento no rosto e contemplar aquela incrível cadeia de montanhas. É uma grande conquista estar ali, então aproveite muito esses momentos inesquecíveis!

Momentos que vão ficar pra sempre na memória! Das coisas que não têm preço! (Foto: @linharesazevedo)

A descida deve ser iniciada até 13h, pois dependendo da velocidade e experiência dos participantes, será possível terminar ainda de dia.

Agradecimentos especiais

Meus especiais agradecimentos para a equipe Graver Rio (Instagram: @Graverrio), que conduziu essa aventura com muito profissionalismo, segurança e alto astral, respeitando as limitações de cada participante. Recomendo!

E aí? Ficou impressionado com essa montanha e acha que já está preparado para uma aventura mais radical? Curte e compartilha esse post com seus amigos que curtem uma trilha cheia de desafios e com muita adrenalina!

Classificado como:

5 comentários em “As melhores trilhas do Brasil #9 – Escalavrado

    1. Obrigada Diva das montanhas!! Sem seu apoio jamais teria sido possível!! Agradeço imensamente a paciência e o apoio!! Montanhaaaaaaaaaaaaaaa!! Beijossss!!

    1. Opa Mário!! Essa é uma das trilhas que já estava na agenda há tempo! Vale muito a pena! Muito obrigada pelo feedback pelo conteúdo do post! Escrevemos com muito carinho e participação de vocês faz toda a diferença! Abraço!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *