Dicas

Caminho alternativo para Machu Picchu: Trilha Salkantay

Muitos caminhos levam à Roma! Esse é um dos ditos populares mais milenares né meu povo?!

E sobre os caminhos que levam à Machu Picchu? Podemos dizer que também temos boas e aventureiras alternativas!

Simbora, que o De Carona Pelo Mundo hoje, traz uma opção pra lá de aventureira: Trilha Salkantay de 5D4N

Ficou curioso? Vem com a gente, De Carona Pelo Peru!

Trilha Salkantay

Caminho da Trilha Salkantay – 2º dia

A trilha Salkantay se consolidou como uma opção à Trilha Inca, que é muito mais famosa e possui maior grau de controle dos órgãos de fiscalização do turismo no Peru, uma vez que para essa trilha é estabelecido um número máximo de visitantes por dia, o que requer do viajante, planejamento antecipado para reservar o passeio, e algumas vezes, requer o pagamento antecipado também!

Já para a trilha Salkantay não é necessário reserva prévia, ou mesmo pagamento desde o Brasil, pois essa trilha pode ser reservada com até um dia antes de você ir… Lembrando que é recomendado alguns dias para aclimatação… dando a seu corpo alguns dias de adaptação para a altitude, de forma que você curta seu trekking sem muito perrengue, ok?!

Atualmente existem trekkings para Salkantay de até 9 dias!! Jesusss!! Mas garanto, o trekking de 5 dias e 4 noites, sendo o último dia já em Machu Picchu, é um passeio agradável e que renderá muitas histórias para contar, pode ter certeza!

A classificação da trilha é de moderada à difícil, mas se você não tiver preparo físico, tudo bem! Sofre um pouquinho, porém consegue vencer!

E se você já é acostumado com trilhas de longa distância como essa, vai aproveitar mais ainda a experiência!

Aos marinheiros de primeira viagem, ou melhor, de trilha como eu era, meio sem preparo e muito contente por estar fazendo a primeira trilha da vida, apesar de alguns perrengues iniciais, você dará conta! Meus caroneiros, Salkantay foi minha estréia no mundo das trilhas, e, apesar de achar que não conseguiria, deu tudo certo!

Com quem fechar o meu pacote?

Já falamos aqui que, em Cusco, nos arredores da Plaza del Armas, há uma infinidade de agências de turismo, inclusive no hotel ou hostel que você estiver hospedado, você terá ao seu alcance uma agência ou uma boa indicação de agência de turismo.

Dica 1: PESQUISE! Pergunte o que está incluso e não incluso e faça suas ponderações, porque os preços vão variar muito a depender dos serviços que estiverem propostos a você. Somente depois de analisar um punhado de propostas, feche o seu serviço!

Dica 2: Os ingressos de entrada em Machu Picchu e os ingressos do trem de volta que sai da estação de Águas Calientes até Ollantaytambo, são talvez os itens que mais contribuirão para encarecer o valor final do seu pacote. Se possível consulte na internet, nos sites oficiais, os preços desses serviços, pois saber algumas informações prévias, ajudam a negociar com a agência! Afinal, brazuca que é brazuca, sempre chora um desconto, né?! Um site bacana para consultar os preços dos ingressos é https://www.ingressomachupicchu.com/ e o preço do transporte de trem para o seu retorno é https://www.perurail.com/

O que devo levar para a trilha?

  • Mochila de Ataque (aquela menorzinha de 10l para levar seus artigos de higiene pessoal, farmácia, lanches rápidos/leves, água e eletrônicos).
  • Mochila cargueira intermediária de 50l (máximo 5kg, mais que isso você e o grupo de pessoas que ultrapassarem essa marca, pagarão o excedente equivalente a um animal a mais, de forma que o peso seja redistribuído. Nesta mochila leve o saco de dormir, o isolante térmico e a roupa que usará nesses dias de trilha).
  • Roupas para trilha: calças trekking, segunda pele, para a mulherada, as leggings de academia salvam! Incluir ainda, casacos para o frio (corta-vento) e capa de chuva.
  • Tênis ou Bota Trekking (de preferência que você já tenha um calçado “amaciado” e evite as bolhas nos pés, devido o ritmo mais intenso das caminhadas diárias).
  • Meias limpas e próprias para caminhada.
  • Necessaire de higiene pessoal (incluam os lenços umedecidos, eles salvarão no primeiro dia de acampamento)
  • Necessaire de farmácia (cada um sabe o quão sensível pode ser a alimentação, então leve seus remédios para dores de barriga, dores musculares, e se possível, gel para pancadas, pois o seu joelho ao quinto dia já pode estar gritando).
  • Bastões (pode ser alugado).
  • Itens de acampamento: barraca, saco de dormir, isolante térmico (ver quais itens estarão inclusos no seu pacote e quais não estarão, eles podem ser alugados na agência, caso você não os possua).
  • Água, isotônicos, barras de cereais, chocolates e demais itens leves para a caminhada (esses itens vão na mochila de ataque).
  • Telefone celular, câmera fotográfica, cabos, carregadores e baterias extras (esses itens vão na mochila de ataque).
  • Dinheiro (na trilha você passará por vilarejos, e pode querer comprar os itens pequenos de alimentação e também para pagar a gorjeta do cozinheiro e do guia ao final do trekking, caso julgue pertinente).
  • Bom humor e muita disposição para mergulhar nesta incrível experiência!

O que inclui o pacote de 5D4N?

No pacote que contratamos estava incluso:

  • Guia;
  • Refeições, com exceção do café da manhã do 1º dia e o almoço e jantar do 5º dia.
  • Ingressos para MP
  • Transporte: bus até o começo da trilha, trem de Águas Calientes até Ollantaytambo e depois van até Cusco.
  • Hospedagem: barracas nos acampamentos durante a trilha e 1 noite em hostel em quarto compartilhado em Águas Calientes na 4º noite.

Qual valor da trilha?

Na época que fiz a trilha, em 2010, conseguimos um preço de U$ 140,00 para estudantes e U$ 160,00 para não estudantes, e éramos um grupo de 9 brasileiros, o que ajudou a negociar mais descontos. Em preços atualizados, depois de pesquisar algumas agências pela internet, os preços estão variando de U$ 300,00 a U$ 500,00! Mais do que nunca meu povo, pesquisem muito! E fechem seus pacotes na cidade, não precisa fechar do Brasil. O máximo que você pode pesquisar antes é através dos relatos de outros viajantes, as agências que eles contrataram, caso eles divulguem. No meu caso não vou divulgar, porque em outra viagem à Cusco, recorri a eles e foi decepcionante o serviço. Porém, há milhares de agências de turismo em Cusco,  então não será difícil fazer a pesquisa.

Qual rota da trilha?

O mais bacana da trilha Salkantay é a diversidade da paisagem ao longo dos dias. O percurso é quase sempre plano, com exceção do 2º dia, os demais dias você consegue imprimir um ritmo de caminhada seu, sem pressas, falo isso por experiência própria!

De um grupo de quase 20 pessoas, liderados por 2 guias principais, eu ficava no grupo dos que caminhavam mais devagar, e por ser a derradeira, o guia estava lá comigo….kkk nós fazíamos paradas necessárias para descansar, aproveitar o cenário e conversar com os novos amigos!

O itinerário da trilha de 5D4N é assim dividido:

1º dia: CUSCO – MOLLEPATA (2,985m) – SORAYPAMPA(4.200m)

Saímos de Cusco as 04:30 de bus em direção a Mollepata (2900 m.a.n.m.), chegando umas 8hs, onde tomamos um café da manhã (não incluso no pacote, custou 7 soles o café continental: pão com manteiga ou geleia, café com leite e chá).

Como indicado acima, neste primeiro dia, as mochilas são pesadas, quem ultrapassar os 5kg na mochila cargueira tem que pagar o excesso… Assim, as mochilas maiores seguem transportadas por animais, juntamente com os demais itens para o preparo das refeições e acampamento ao longo da trilha.

Ao longo do percurso o terreno é plano, com algumas subidas por dentro da mata e pequenos montes, e belas paisagens… Em outubro sempre chove, então durante o percurso todos os dias choveu um pouco… neste 1º dia seguimos até Soraypampa onde montamos acampamento. Esta é a noite mais fria da trilha, porque ficamos no pé de uma montanha nevada….

Neste dia são em média 15km de caminhada e devido ao local do acampamento, não há oportunidade para banho, não há estrutura… Aqui entra a importância dos lenços umedecidos, em especial para as pessoas que transpiram mais. A impressão que temos quando o ambiente é muito frio, é que logo ‘secamos’, mas é importante manter a higiene….rs

As barracas estavam inclusas no pacote, e são alojados até 3 pessoas por barraca, mas por uma questão de “conforto”, ficamos em 2 pessoas em cada barraca, e ainda, houve pessoas que ficaram sozinhas.

1º dia de trilha – Acampamento base e as montanhas nevadas

2º dia: SORAYPAMPA – PASO HUMANTAY (4,800m)-CHALLHUAY (3,900m)

Na trilha, levanta-se cedo, e às 5hs já somos servidos com um chá da coca,  para um verdadeiro despertar! Arruma-se as coisas, toma café e levanta acampamento!

O segundo dia é considerado o mais pesado da trilha, pois durante toda a manhã o percurso será de subida, o ar vai ficando difícil, o coração acelerando, mas passo a passo a gente chega lá….

Neste dia é realizada a travessia por Salkantay – pampa para ir ao lado esquerdo do nevado chamado Umantay, que está perto do nevado Salkantay – Salcantay. No final da manhã, chega-se ao ponto mais alto da trilha, na altura de  4.650 metros. Quando estávamos quase chegando no topo, começou a chover granizo e o frio ficou muito extremo!

Depois que atingimos o topo, começa a descida, aí a vida é outra, o ar volta a preencher os pulmões sem dificuldade nenhuma e o coração já não acelera tanto… nesta descida choveu bastante também.

Paramos para almoçar por volta das 13h, e pela tarde a trilha continua e já vai mudando de paisagem e nosso cenário já pela floresta peruana até chegar a um povoado no final do dia (2.950 m.a.n.m). A caminhada neste dia é cerca de 22km.

inserir códigos de negritoinserir códigos de itálicoinserir linkinserir blockquoteVerificação ortográfica

2º dia da trilha Salkantay
2º dia da trilha Salkantay – os moradores das montanhas
Trilheiros brazucas no 2º dia da Trilha Salkantay

3º dia: CHALHUAY – SANTA TERESA (1,600m)

Neste 3º dia, conhecemos mais da floresta peruana, da flora, muitos córregos, algumas cachoeiras! É um dia mais ligth e com belas paisagens. Próximo de chegar no local do almoço, podemos seguir de van por uns 20 min ou continuar a caminhada, então eu fui de van… hehehe e outros foram a pé…

Depois do almoço, fomos para o acampamento em Santa Teresa e mais uma vez é dada a opção de ir novamente de van, para a decepção de alguns e maravilha de outros…kkk

Neste dia chegamos cedo ao acampamento, totalizando cerca de 15 km o percurso realizado. Devido ao horário, é organizado passeio para um banho termal. Como eu estava muito cansada, resolvi descansar, e outros companheiros foram para as piscinas termais.

Pela noite foi organizado um luau! E também neste acampamento havia a opção de ficar em quarto, pois o local era uma pousadinha, e por 10,00 soles, deixei as barracas e fui para o quarto.

3º dia da Trilha Salkantay
3º dia da Trilha Salkantay

4º dia: SANTA TERESA – ÁGUAS CALIENTES

O 4º dia já fazemos basicamente o mesmo trajeto que a galera faz da trilha da Hidrelética.

Neste dia, já carregamos toda a nossa bagagem (mochilas cargueira e de ataque), andamos pouco mais de 4 horas, por uns 10km, mas estamos mais pesados devido a bagagem.

Durante a caminhada encontramos muitos outros viajantes, pois esta rota já se consolidou em um forma mais frequente de chegar até Águas Calientes – Machu Picchu.

Pela noite jantamos com guia, e também nos despedimos da equipe de apoio que são carregadores e cozinheiro do grupo. Pegamos as instruções do dia seguinte, como acordar pela madrugada para subir até MP a pé!

4º dia da Trilha Salkantay – seguindo pela trilha da hidrelétrica
Reta final do 4º dia da Trilha Salkantay

5º dia: ÁGUAS CALIENTES – CUSCO

O 5º dia é a visita à Machu Picchu, que até o ano passado o visitante podia ficar o dia todo passeando. Mas desde 2018 só é permitida a permanência por um período, ou manhã ou tarde. Já tem post aqui no blog dando todas as dicas de MP, acessa aqui.

Então, às 4:30 iniciamos a caminhada para o primeiro portão de entrada do Parque, e às 5hs o portão abriu, e começou a corrida alucinante para entrar no Parque. Acredito que o desespero da galera é para chegar lá em cima e garantir a permissão de subir a montanha do WaynaPicchu!!

Sobre essa subida, para quem está em boas condições físicas, sobe em até 30 min. É uma subida íngreme, porque ‘corta-se’ o caminho pelas escadarias, e não faz o caminho zigue-zague do micro-ônibus que custa, atualmente, U$ 12,00 (o trecho), e sai de Águas Calientes, a partir das 5hs da manhã.

Como fui andando, levei cerca de 1h para chegar lá em cima. Cheguei, fiquei na fila e carimbei minha entrada para subida às 10hs ao Waynapcichu.

Fizemos a entrada no parque sob a orientação e explicação com o nosso guia, e depois ficamos livres para passear pelo parque.

Dica: Para este dia leve sua água e lanches leves, porque as refeições nos restaurantes da entrada do Parque são caríssimos! Leve também seu passaporte para carimbar com o selo do parque, é um dos souvenires mais procurados.

Andanças pelo parque de MP
Do alto do Waynapicchu
Sinalização para o Waynapicchu

Regressei do parque por volta das 15h de micro-ônibus. Negociei no hostel a permissão de usar o banheiro para e assim, ficar pronta para o regresso à Cusco.

Aproveitei o tempo do fim da tarde para conhecer um pouco mais da pequena Águas Calientes. Há muitos comércios, com artesanatos belíssimos e pratas para todos os gostos!

Praça Central de Águas Calientes

O regresso do grupo foi pela noite deste 5º dia, sendo trem das 19h de Águas Calientes até Ollantaytambo, e depois van até Cusco, chegando por volta as 0h.

Então caroneiros, gostaram da aventura da Trilha Salkantay?! Espero que sim! Se quiserem saber mais da trilha da Hidrelétrica, clica aqui.

Até a próxima aventura pessoal!

Acreana, funcionária pública, professora, viciada em viagens, e agora, de carona pelo mundo :)

%d blogueiros gostam disto: