Agência DCPM
17 de agosto de 2018

As melhores trilhas do Brasil #8 – A Pedra do Osso

A trilha para a Pedra do Osso fica no Parque Estadual da Pedra Branca, que está localizado no bairro de  Realengo no Rio de Janeiro e faz parte da grande Trilha Transcarioca. Além da trilha para a Pedra do Osso, o parque também oferece diversas outras atrações, como travessias e os circuitos da Pedra “Jesus Vem” e Praias Selvagens, visitação de cachoeiras como a da Barata, poços para banho, vias de escalada, áreas de lazer com brinquedos para crianças e imensas áreas para piquenique. Diversão e aventura para todas as vibes, idades e gostos.

A entrada do Parque Estadual da Pedra Branca, núcleo Piraquara (Foto: @soyaline)

O nosso objetivo, a Pedra do Osso, é um imenso bloco de pedra de granito, que está curiosamente equilibrado em cima de um platô na montanha. Observada em determinados ângulos, ela realmente se parece com um osso e aguça a curiosidade de muitos aventureiros, que se perguntam como aquela pedra ficou ali naquela posição e, se um dia, ela não irá cair.

O que sabemos, é que essa pedra um dia estava abaixo da terra e que com o passar dos anos, o processo de erosão foi levando essa terra que havia em volta e revelando toda a beleza e grandiosidade da pedra. Apesar de parecer que vai cair, geólogos afirmam que isso é quase impossível de prever, pois um evento natural, como um tremor por exemplo, poderia fazer com que ela tombasse. Enquanto isso, podemos aproveitar para admirar sua grandiosidade e curtir altas aventuras. Vamos?

O começo da trilha, onde ainda rola uma proteção das árvores (Foto: @cristravels)

Ingressos para o Parque

A entrada no parque é gratuita e não é necessário agendamento prévio, sendo seu horário de funcionamento de terça à domingo de 8h até às 17h.

Há três acessos possíveis, os chamados núcleos, que são o Núcleo Pau-da-Fome, que fica na Taquara em Jacarepaguá, o núcleo Camorim, que fica no próprio bairro Camorim, também em Jacarepaguá e o núcleo Piraquara, que fica no bairro de Realengo e é por onde devemos entrar no parque, para chegar na trilha que leva até a famosa Pedra do Osso.

Para maiores informações sobre localização, mapas, guia de trilhas e atrações, acesse o site do parque nesse link Aqui !


Veja mais posts sobre trilhas:

As melhores trilhas do Brasil #1 – Chapada Imperial – DF
As melhores trilhas do Brasil #2 – Pedra Bonita – RJ
As melhores trilhas do Brasil #3 – Lagoinha do Leste – SC
As melhores trilhas do Brasil #4 – São Thomé das Letras – MG
As melhores trilhas do Brasil #5 – A Pedra do Sino – RJ
As melhores trilhas do Brasil #6 – Pedra da Gávea – RJ
As melhores trilhas do Brasil #7 – Pico das Agulhas Negras


O que vestir?

Como se trata de uma trilha rápida e de nível leve, que pode ser feita por todos, não há necessidade de roupas mais específicas, mas vamos aqui dar algumas sugestões:

  • Boné e óculos escuros (A trilha é aberta na maior parte do tempo e o sol castiga forte).
  • Camisa de manga comprida, respirável e de preferência com proteção UV. (A manga comprida é para evitar que os braços sejam cortados pelo capim-manteiga, que se encontra quase na chegada à Pedra do Osso).
  • Calça comprida. (Apesar do calor, a calça também tem a finalidade de evitar os cortes nas pernas, que podem ser causados pela vegetação).
  • Bandana para o rosto (Para também evitar cortes no rosto e proteger do sol).
  • Luvas (É interessante levar, pois há um trecho mais próximo à pedra, no qual é necessário escalar para alcançar o platô).
  • Meias comuns.
  • Botas de trilha ou tênis.

O que levar?

Para essa trilha, não é necessário levar muita coisa, então segue uma lista básica:

  • Mochila de ataque de 10L.
  • 2 litros de água. (Ou mais, pois por ser em área aberta, o sol castiga a maior parte do tempo)
  • Repelente e protetor solar.
  • Lanches leves, tais como barras de ceral, sanduíches, snacks de nuts, bananada, paçoquinha, frutas e pacotes de biscoito (tudo para evitar levar muito peso).

A trilha

A trilha até a Pedro do Osso leva aproximadamente 2 horas e é feita, em sua maioria, em uma área de mata aberta e com vegetação mais rasteira. O caminho todo é sempre subida e o sol realmente não perdoa na maior parte do tempo, por isso, não esqueça o boné e o protetor solar. A trilha é considerada leve e pode ser feita por qualquer pessoa com um pouco mais de disposição.

O guia Jorge Leite passando todas as informações sobre o parque. A maior parte do tempo, andamos em trilha aberta e o uso de boné e protetor solar é indispensável (Foto: @cristravels)

O caminho não tem mistérios e está bem sinalizado, ou seja, não há como se perder, sendo assim, não há a necessidade de guia especializado.

De qualquer forma, fizemos esssa trilha com o excelente guia Jorge Leite, especializado no PEPB, e que faz parte da equipe @adventureinrio.

A trilha é bem sinalizada, mas tem que ficar atento! (Foto: @soyaline)

Dica: É interessante chegar ao parque no período da manhã, levar mapas (que podem ser baixados no site do INEA – link acima) e obter informações com pessoas que conheçam o local.

Mirantes belíssimos por toda trilha! (Foto: @mulekamateira)

Durante a caminhada, há muitos mirantes com um belo visual e que vale a pena a foto.

Quase no fim da trilha, também podemos avistar a Pedra chamada “Jesus Vem”.  Ela tem esse nome porque alguém, não se sabe até hoje quem, pintou a frase “JESUS VEM” com tinta branca e com enormes letras, em toda a extensão da Pedra, inscrição essa que podemos ver bem de longe. A pedra “Jesus Vem” também é procurada por praticantes de rapel, assim como a Pedra do Osso.

A Pedra “JesusVem” (Foto de drone: @luciano_cb_serra)

Mais próximo à Pedra do Osso, iremos passar por uma vegetação um pouco mais alta e densa, composta em sua maioria por capim-manteiga, que cortam em contato com a pele e estão localizadas mais próximas ao topo, quase no final da nossa caminhada.

O mato é bem alto e pode cortar a pele, então não faça como eu eu vá com uma blusa de manga longa pra não chegar lá em cima todo lanhado (Foto: @soyaline)

Assim que chegamos na base, logo nos perguntamos: _Ué, mas cadê a Pedra do Osso? Mas calma, pois da base, a vista que temos é de uma grande pedra redonda e sem aquele formato de osso,  tão famoso em diversas fotos que vemos na Internet.

Achou! Mas daqui de baixo parece uma bolinha! (Foto: @cristravels)

Para poder visualizar o formato de Osso, será necessário seguir um outro caminho e continuar a trilha até um outro ponto mais acima e aí, sim tirar belíssimas fotos e se encantar com mais esse espetáculo que a natureza nos oferece.

A melhor posição para se contemplar toda a beleza da Pedra do Osso e do Parque da Pedra Branca. (Foto: @vivianctelles)

Como dissemos anteriormente, a Pedra do Osso é muito procurada por escaladores e praticantes de rapel, que fazem a escalada até o topo da pedra, de onde se tem uma visão magnífica de todo o Parque da Pedra Branca.

A escalada é bem difícil, e só deve ser feita com equipe de rapel especializada, cadastrada nos órgãos fiscalizadores e que possua todos os equipamentos de segurança adequados, tais como baudrier, mosquetões, freio 8, cordas, entre outros.

Recomendo a equipe Rota Carioca (Instagram: @equiperotacarioca), que conduziu a ascenção e o rapel com todos os equipamentos adequados e segurança.

A escalada é bem cansativa, mas o visual lá de cima e o rapel irado super compensa! Bora? (Foto: @equiperotacarioca)

O topo da pedra tem uma superfície bem irregular, sendo assim, a equipe que estiver oferecendo o rapel, deve te prender em uma corda de segurança assim que você terminar a ascenção, justamente para evitar acidentes. Se não tiver preparo ou medo de altura, evite fazer estripulias! danadinho(a)!

Após chegar no cume da pedra, você pode parar por alguns minutos para curtir um visual de tirar o fôlego e depois, é só descer em um rapel super radical. Aquele momento em que você tem o privilégio de contemplar toda a beleza do PEPB

Rapel radical na Pedra do Osso. Aí é só curtir a paisagem! (Foto: @arthurzannatto)

 

E aí, gostou dessa aventura? Ficou curioso para conhecer a famosa Pedra do Osso? Então já curte e compartilha esse post com todas as dicas e já chama a galera pra desbravar mais essa trilha!

Se não for pra subir no carro do guia, a gente nem vai! Chama a galera! (Foto: @mulekamateira)

Agradecimentos Especiais:

Esse foi um evento patrocinado pela @decathlonbarradatijuca, que promoveu um workshop repleto de  informações sobre a trilha Transcarioca, com a presença da experiente montanhista @vivianctelles, que realizou a parte prática na trilha para a Pedra do Osso, no Parque Estadual da Pedra Branca.

Classificado como:

Um comentário em “As melhores trilhas do Brasil #8 – A Pedra do Osso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *