Turismo

As melhores trilhas do Brasil #4 – São Thomé das Letras – MG

São Thomé das Letras é uma tranquila e simpática cidade no interior de Minas Gerais, conhecida também como A Cidade das Pedras, pois várias de suas construções foram erguidas utilizando as famosas pedras São Thomé, que foram sendo extraídas das diversas jazidas espalhadas pela região.

A cidade também é conhecida por seus mistérios e misticismos. Muitos acreditam que ali, está localizado um dos pontos de energia do planeta Terra, e que toda a região recebe a visita de seres extraterrestres. Uma das lendas mais conhecidas e improváveis de todas, afirma que uma das grutas de São Thomé, chamada de gruta do Carimbado, se for trilhada até o final, irá terminar na cidade peruana de Machu Picchu! Oi?

Bom, o que sabemos é que até hoje ninguém fez a trilha até o final para saber, sendo assim, o mistério continua.

A cidade de pedra (Foto: Cris Campos)

Além de todos os mistérios e lendas, São Thomé é também cercada por uma natureza exuberante, que você pode apreciar visitando um dos diversos mirantes localizados na parte alta da cidade ou, percorrendo as principais trilhas que cortam a região, e que vão te levar até belíssimas cachoeiras. Por serem bem próximas umas das outras, é possível conhecer várias delas em um único dia.

Dentre as trilhas mais procuradas, tanto pela beleza quanto pela facilidade do percurso, estão as que visitam as Cachoeiras da Lua, Eubiose, Véu de noiva e o belíssimo Vale das borboletas, que são tema desse post.

A Cachoeira da Lua

A primeira parada da nossa aventura é a cachoeira da Lua, que fica a mais ou menos 7km do Centro da cidade. Para chegar, é preciso pegar a estrada sentido Baependi e, depois de aproximadamente 2km, você irá chegar ao Camping do Jhonny, que funciona  como um ponto de referência, todos os habitantes da cidade conhecem. Da entrada do camping, temos então que seguir na estrada em direção a Sobradinho e, em uns 5km adiante, chegaremos finalmente ao Bar da Lua, localizado em frente ao portal de entrada para a cachoeira. O caminho não é difícil, mas se estiver de carro e sem um guia local, é mais interessante utilizar o GPS. Para quem desejar acampar, pode ficar no camping da Lua, que fica logo ali ao lado e é uma boa opção.

Camping da Lua (Foto: Cris Campos)

O nome cachoeira da Lua se deve ao fato de, à noite, a luz da lua criar um lindo reflexo em suas águas. Como fizemos a visita durante o dia, infelizmente não foi possível presenciar esse espetáculo. Essa cachu tem uma queda d’agua bem pequena, de aproximadamente 2 metros de altura.

Uma das maiores atrações do local é se pendurar em uma corda disponível na margem e pular nas águas geladas da cachoeira. Haja coragem!

Cachoeira da Lua (Foto: Cris Campos)

A cachoeira da Eubiose

O próximo destino de nossa jornada pelas trilhas de São Thomé,  é a Cachoeira da Eubiose. Para chegar até lá, você deve fazer o caminho de volta até o famoso Camping do Jhonny e depois seguir por mais uns 2km pela estrada de terra, também em direção a Sobradinho. Durante o percurso, você irá avistar uma casa amarela, com vários carros e ônibus estacionados na rua, além de uma fila de visitantes na porta. Ao lado dessa casa, você vai encontrar um portão e uma mesa com os dois atendentes, que ficam responsáveis por controlar a entrada de pessoas na cachoeira. Ali é preciso fazer  um pequeno cadastro, para só então, receber uma pulseira de identificação e poder entrar na trilha.

Local de registro para acesso à cachoeira da Eubiose (Foto: Cris Campos)

Depois da entrada, devemos percorrer uma trilha fácil, de mais ou menos 1km, quando então, será possível avistar o portal de entrada. A cachoeira da Eubiose tem uma queda d’agua de aproximadamente 4 metros de altura, e o seu poço mais parece uma praia rasa, com areia grossa e águas cristalinas, mas não se engane com o aspecto de praia! Como toda cachoeira que se preze, suas águas são bem geladas mesmo no verão. Vale um banho para lavar a alma e descansar na areia ouvindo o canto dos pássaros.

Entrada da Cachoeira da Eubiose (Foto: Cris Campos)

Algumas pessoas se arriscam a subir no alto das pedras que formam a cachoeira para tirar fotos de cima para baixo, o que não é aconselhável, pois o topo da cachoeira é extremamente escorregadio e o risco de acidente é grande.

Cachoeira da Eubiose (Foto: Cris Campos)

A Cachoeira do Flávio

Ali bem pertinho, a mais ou menos uns 2km de trilha, passando por uma descida bem íngreme, fica a cachoeira do Flávio, que tem uma pequena queda d’agua sem maiores atrativos, mas que também vale a sua visita, pois é caminho para a nossa próxima parada.

Cachoeira do Flávio (Foto: Cris Campos)

A cachoeira Véu de Noiva

Continuando pelo mesmo caminho, depois de mais uns 2km de caminhada pela mata, finalmente vamos chegar à cachoeira Véu de Noiva. A queda d’água é belíssima e tem aproximadamente 8 metros de altura e, por isso, também é uma das mais procuradas da região, sempre lotada aos fins de semana.

Cachoeira Véu de Noiva (Foto: Cris Campos)

O Vale das Borboletas

Para chegar à nossa próxima parada, a trilha para a cachoeira do Vale das Borboletas, é preciso voltar até a entrada de São Thomé e pegar a estrada em direção à cidade de Três Corações. O percurso é bem sinalizado e não vai ser difícil encontrar o caminho, pois basta perguntar pelo restaurante do Tio Zé, que tem um amplo estacionamento e, por ser pertinho da entrada da trilha, recomendamos fazer uma parada estratégica para o almoço antes de seguir.

Entrada da trilha para o vale das Borboletas. Filtros dos sonhos são as lembranças mais vendidas na região (Foto: Cristravels)

Passando um pouco do estacionamento do restaurante, você vai encontrar uma lojinha de açaí e diversas barraquinhas vendendo todo tipo de artesanato local,  como pulseiras, colares, pedras de várias cores e, invariávelmente, lindos filtros dos sonhos, que são bem comuns na região devido ao misticismo da cidade. Depois de passar pelos artesãos, é só seguir por mais ou menos uns 500 metros até avisar a cachoeira do Vale das Borboletas, que é considerada a mais bonita de São Thomé das Letras.

Vista de cima do Vale das Borboletas (Foto: Cris Campos)

A cachoeira do Vale das Borboletas tem três quedas d’água, com aproximadamente 6 metros de altura, e formam um lindo poço cercado por grandes pedras, onde é possível ficar sentado relaxando e admirando a belíssima natureza que cerca o lugar.

Na base da cachoeira, recomendamos caminhar com muito cuidado, de preferência descalço ou com sapatilhas aquáticas, que são mais apropriadas para esse tipo de terreno devido ao solado de borracha, fazendo assim com que você não machuque os pés nas pedras pontiagudas ou escorregue em alguma delas.

Vale das Borboletas (Foto: Cris Campos)

As quedas d’água dessa cachu são bem fortes, principalmente na época das chuvas, mas de qualquer forma é um banho maravilhoso, com direito a massagem nas costas para passar o resto do dia relax.

Cachoeira do Vale das Borboletas (Foto: Cris Campos)

À noite, depois de descansar das trilhas e cachoeiras, a pedida é dar um rolê na movimentada praça central da cidade, que há diversos restaurantes de comida no fogão à lenha mineiro, pizzarias artesanais onde as pizzas são assadas no forno de pedra e vários barzinhos com música ao vivo, que fazem a alegria dos turistas que estão interessados em um pouco mais de agito.

Como chegar?

Se estiver de carro, saindo de Juiz de Fora, siga pela BR267 até a entrada de Cruzília. DICA: se não quiser enfrentar a estrada de terra (Cruzília – São Tomé), que lamentavelmente é conhecidamente por ser mal conservada, você pode seguir pela BR267 até Cambuquira e de lá, continuar até a cidade de Três Corações, pegando a estrada para São Bento Abad, pois antes de chegar à esta cidade, há uma entrada para São Tomé das Letras.

Para ir de ônibus é um pouco mais complicado, pois não há uma linha regular que faça o trajeto vinda de fora do estado de Minas Gerais, então o jeito é pegar um ônibus até uma das três cidades mineiras que possuem ônibus direto para lá, que são Três Corações, Caxambú ou Cruzília e de lá pegar outro ônibus até São Thomé das Letras. Os detalhes podem ser obtidos na página http://www.saothomedasletras.net/horarios-de-onibus-de-sao-thome-das-letras-viacao-coutinho, que é a empresa com mais horários disponíveis.

Se você já estiver em são Thomé e não estiver de carro, há vários guias e jipeiros disponíveis na praça central, que levam os turistas pelas trilhas até as cachoeiras e que podem ser contratados na hora.

E aí, gostou viajante? Então compartilha no Facebook e marca aquele amigo para ele conhecer as trilhas de São Thomé também! Vai que vocês conseguem sair em Machu Picchu?

Semana que vem tem mais! vamos trilhar?

Até a próxima trilha! (Foto: @Soyaline)

Carioca, Leonina, analista de sistemas por profissão e viajante de coração. Cidadã do mundo apaixonada por cultura, gastronomia, trilhas e viagens. Escrevo para inspirar as pessoas a viajar e descobrir esse nosso mundão repleto de aventuras! Vem de carona comigo!