Turismo

#4 Quero viajar e agora? Planejando gastos

Quero viajar, e agora? Bom, antes de escolher o seu destino e definitivamente fechar as passagens, eu o aconselho a atentar para algumas questões que influem diretamente sobre  a sua viagem e levantar o máximo de informações possíveis para  sair de casa prevenido: CLIMA, SEGURANÇA E GASTOS.Você vai precisar tickar todos os itens dessa listinha:

CHECK LIST:

1) Clima : estação do ano e situações adversas

2) Segurança : é seguro? O que saber antes de ir.

3) Dinheiro: 

  • Cotar hotéis
  • Converter a moeda
  • Ver gastos com alimentação
  • Pesquisar preços de transporte.
  • Verificar os valores dos passeios principais.

Esse post será todo dedicado aos tão preocupantes gastos de viagem! Afinal, não adianta fazer uma viagem mais cara que o seu dinheiro possa pagar ou mais longa do que ele possa durar!

Vem comigo, que eu te ajudo! Como aprendi a pesquisar as informações por mim, vou compartilhar com vocês o que eu faço e dar exemplos baseados em minhas experiências.

SOBRE OS PREÇOS:

Esse é o calo da maioria das pessoas! Como quase todo mundo tem preocupação com o quanto gastar,  aqui vão os cinco pontos  principais: HOSPEDAGEM, VALOR DA MOEDA, COMIDA, TRANSPORTE E PASSEIOS.

1) HOSPEDAGEM

O primeiro passo, antes de se empolgar e comprar os bilhetes aéreos,  é verificar o preço da sua estadia, seja ela hotel, hostel, pousada, airnbb ou afins. Você precisará de um teto!

Eu, uso sites que elencam as hospedagens disponíveis com preços e localização. Eles te poupam do trabalho de entrar site a site para descobrir os valores das pernoites.  Ao cotar, você tem uma ideia geral de quanto valem os hotéis e qual será a sua média de gastos pela quantidade de dias que ficar.

Além disso, esses sites oferecem opções diversas de pagamento: somente no local, à vista no cartão, compra parcelada no cartão de crédito. E isso te ajuda a ter uma ideia se precisará poupar dinheiro até a viagem,  pagar aos poucos ou tudo de uma unica vez.  Os que eu mais uso são: booking, tripadvisor, hotéis.com  e trivago

Best Baungaloos – Ubud, Bali. Meu hotel na Indonésia.

Dica: Se você pretende visitar mais de uma cidade, cote também. Não sabendo exatamente o mês que fará a viagem,cote também! O negócio é obter o máximo de informação possível.  Em virtude das temporadas os valores podem ser sensivelmente alterados.

(leia o meu post ensinando a usar essas e outras ferramentas de viagem) 

2) O VALOR DA MOEDA

Você sabe qual é a moeda corrente do lugar que vai visitar? Se for dólar ou euro, é o paraíso da conversão, assim já dá para ter uma ideia do quanto vale o seu dinheiro. Não é? Ou não sabe? Não entre em pânico! O negócio é pesquisar! Cada país tem sua moeda corrente. Ou não! A União Europeia optou por unificar a moeda mas isso não significa que todos os países integrantes adotaram o euro.

Fique atento, também pode acontecer casos em que o dinheiro local não tenha força e portanto, o comércio adota outra como moeda como sua : é o caso de Siem Reap, no Camboja ou a Cidade do Panamá, Panamá.  Ainda, tem casos que os países te, mais de uma moeda (Cuba e Cancún, no México).

Após descobrir qual o dinheiro que lidará, você precisa descobrir a conversão. E acredite, você precisa! alguns lugares amam colocar VÁRIOS zeros na moeda e nem sempre isso significa muito dinheiro.

cédulas uruguaias.

Exemplo: 100.000 bahs valem aproximadamente 10 reais!

Dica: Converta os  dois lados da moeda! Sim, por um motivo simples de matemática: Se você converte 1 Bah em real olha o que acontece: 0,0001 do real (assim fica difícil né?)
mas se você fizer o oposto, 1 real em Bahs: 10.000 (bem melhor, não?!).

Faça isso para o dólar também!

3) COMIDA

Pode parecer besteira, mas você precisa comer! Comemos mais de uma vez ao dia (eu, pelo menos, como várias!).  Então, o preço da comida deve ser levado em conta quando montamos um plano de viagem.

Comida da Tai – Bangkok.

Não há como prever os valores que você irá gastar em cada refeição, mas dá ter uma ideia de quanto custa para comer. Se você for ficar poucos dias é mais tranquilo. Agora, em uma viagem de 20 dias, já faz bastante diferença.
Pense que se uma água custar 4 euros, multiplicado por 10 dias, tomando apenas uma garrafinha já são 40 euros! (dói pensar assim né?)

Mas, vamos lá, como descobrir o preço das refeições? Eu uso o Trip Advisor, digite “onde comer em tal lugar, lá aparecem elencados um rol (geralmente extenso) de restaurantes e bares. Use esse o preço como uma média, porque geralmente os restaurantes que aparecem são os mais famosos e por consequência, um pouco mais caros .

Se sua intençã

Comida Tai – Bangkok

o é fazer uma viagem gastronômica, aposte em valores maiores do que aparecem. (A gente nunca fica em um prato de comida só, não é mesmo?)

Agora, se quer economizar, chute um valor um pouco abaixo dos elencados, mesmo porque, você também pode ir ao mercado e comer no hotel.

Uma diquinha quase fora do contexto mas vale informar: se a intenção é economizar mesmo com a comida, escolha um hotel com frigobar e microondas, assim você mesmo prepara o que comer.

Rolê “econômico” no meio feio. Cartagena, Colômbia.

4) TRANSPORTE

O mesmo eu digo para o transporte! Antes de fechar a viagem descubra quais os meios de locomoção oferecidos pela cidade destino que foi escolhida. Descubra se tem metrô, sistema coletivo de ônibus, táxi e Uber ou ainda moto, carrinho de golfe ou triciclos e qual o preço. Veja a possibilidade de alugar um carro, talvez.

O preço do metrô você descobre perguntando ao google, o preço do táxi pelos blogs e experiência dos viajantes e, a parte que eu mais gosto: Uber. Siiim!

Dica: para cotar  os valores, eu insiro um endereço no centro da cidade ( sempre uso o centro como referência) entro no aplicativo e altero o local de partida para esse endereço e, como destino, escolho um ponto turístico qualquer.   Tchan Tchan! Assim você já descobre se na cidade tem esse serviço ( quando não tem, não há carros disponíveis) e quando tem, Pá! você descobre uma média das corridas.

E, o mais lindo, o preço é fechado e você não corre o risco de ser enganado por taxistas (aquela velha história…)

Você precisa se preocupar com isso! Bom, depende, se for um local mais restrito que se faz praticamente tudo a pé, não! Mas, imaginem Bangkok ou Cidade do México.  É impossível conhecê-las sem depender de transporte.

Multiplique as viagens pela quantidade de pontos que irá conhecer em um dia, (que é no mínimo duas: ida e volta ao hotel) e já dá para se ter uma noção.

Ainda tem a possibilidade de alugar um veiculo. Não consigo imaginar EUA sem carro, por exemplo.

Elantra, meu parceiro por 2.400 km pelos EUA, foram 21 cidades. Yosemite. CA.

Mas, antes de tudo pesquise sobre o transito do lugar. Isso é bem sério. A Indonésia é um caos!

Você precisa descobrir quanto custa o aluguel de um veículo por dia. A boa noticia é que geralmente não é caro, tem carros para todos os bolsos. Mas, descubra o preço da gasolina. Meu deus, Ana!!! não é demais, não? Olha, depende! nos EUA a gasolina é vendida por galões (então você realmente gasta pouco com isso). Mas na Itália, por exemplo, é por litro e convertendo o euro, custa quase o mesmo valor do Brasil.

5) PASSEIOS

Por que incluir o valor dos passeios é importante? Quando os gastos com o seu tour pela cidade for pequeno, realmente, o melhor é incluir os valores no seu orçamento diário: “Tenho X reais para gastar por dia, e isso será para alimentação, transporte e passeios”. Até aí, ok.

Mas existem passeios que são os principais motivadores de uma viagem e esse, sim, podem ter preços salgados. Coloque isso na ponta do lápis. Vou conseguir chegar até lá?

Machu Picchu, Peru.

É preciso pensar que ao visitar os parques de Orlando, gastará quase tanto quanto chegar até ali só com os ingressos. Ou ainda, Machu Picchu: quem vai à Cusco, percebe que o custo de vida é tranquilo, mas ir à cidade perdida é um tanto caro. Quem quer Ir até lá e não conhecer o principal atrativo do Peru? O mesmo digo para o Santiago do Chile, muita gente escolhe ir até lá para ver neve, no Valle nevado, conhecer as vinícolas e o vale do Cajón del Maipo. Bom, você terá que pagar por isso! Inclua uma média na sua planilha.

Ufa! Depois de verificado tudo isso, você está pronto para comprar suas passagens!
Parece ser muita coisa para pensar, mas acredite, não é!!!  Depois disso, o próximo passo é começar a “roteirar”. Quer saber como ?! Vem que eu te explico!

Já conferiu a primeira parte do meu guia de viagem?! Lá eu ensino a definir o destino e falo sobre os dois primeiros itens desse Check List, confere lá:

Quero viajar e agora? Como rastrear passagens aereas

https://dcpm.com.br/1-quero-viajar-e-agora-como-rastrear-passagens-aereas/

Quero viajar e agora? outras maneiras de rastrear passagens

https://dcpm.com.br/2-quero-viajar-e-agora-outras-maneiras-de-rastrear-passagens/

Quero viajar e agora? Destino, clima e segurança

https://dcpm.com.br/3-quero-viajar-e-agora-destino-clima-e-seguranca/

 

Libriana, concursada e maluca por viagens! Ama sua mochila e não dispensa um carimbo no passaporte! Meta de vida é dar a volta ao mundo. Quer estar em cada pedacinho dele. Trintona, não pensa em casar e ter filhos. Só pensa em viajar! Gosta de gente e não dispensa uma boa festa. Cômica ,falante e muito direta! Quer incentivar as pessoas a tomarem coragem e meterem a cara nesse mundão! Afinal, a vida está lá fora! BORA! @aninha_rnct